Greves e caos ameaçam o retorno às aulas

Creches administradas por Wizo, Na’amat, Emunah e outras organizações supervisionadas pelo governo, que atendem cerca de 50.000 crianças, abrem às 10h nesta quarta, quinta e sexta-feira e ameaçam uma greve total a partir de domingo, a menos que suas demandas sejam resolvidas. As creches protestam contra a grave falta de pessoal e salários baixos.

As escolas, que voltam na quinta-feira, também enfrentam incertezas sobre as novas regras de testes COVID para alunos e de Passaporte Verde para professores.

A partir de domingo, mais de um milhão de israelenses perderão seu Passaporte Verde, em cumprimento à nova regra, que determinou que a sua validade depende de uma dose de reforço da vacina contra COVID-19, seis meses após as duas primeiras doses.

De acordo com as regras atuais do Passaporte Verde a entrada em determinados estabelecimentos e eventos é limitada àqueles com comprovante de vacinação, recuperação do COVID-19 ou resultado de teste negativo.

O diretor do sindicato dos professores do ensino médio, Ran Erez, enviou uma carta urgente ao primeiro-ministro Naftali Bennett pedindo uma prorrogação de dois meses para permitir que os professores recebam suas doses de reforço e se tornem compatíveis com o Passaporte Verde, alertando que a decisão de impedir a entrada na escola daqueles sem o passaporte seria contestada no tribunal.

“Não há decisões como essa direcionadas a nenhum outro setor do país, é uma medida que prejudica os professores israelenses de forma desproporcional”, escreveu.

LEIA TAMBÉM

Erez disse estar se referindo aos professores que receberam duas vacinas e não aos poucos que se recusaram a se vacinar.

Ele alertou que se não for encontrada uma solução, todas as opções serão colocadas sobre a mesa, incluindo contestações legais, paralisações de trabalho e greves.

O ministério da Saúde anunciou, esta semana, que mesmo os  pacientes recuperados serão obrigados a receber uma dose da vacina contra o coronavírus, a fim de permanecerem elegíveis para receber o Passaporte Verde. Até agora, todos os recuperados eram elegíveis.

Dados do Ministério da Saúde, na segunda-feira, mostraram que 4.710.716 israelenses foram vacinados com duas doses seis meses atrás, mas apenas 3.243.641 deles receberam uma dose de reforço.

Mesmo subtraindo as centenas de milhares de infectados com COVID-19 nos últimos seis meses, o que significa que eles não precisariam da terceira dose da vacina, o número de pessoas que não terão mais o chamado Passaporte Verde é superior a um milhão.

No entanto, um alto funcionário previu que o incentivo do Passaporte Verde funcionaria e que entre 500.000 e 1 milhão de israelenses teriam sua terceira dose nos próximos dias.

“A vacinação em massa quebrará a cadeia de infecção e porá fim a esta quarta onda”, disse o funcionário ao jornal Haaretz.

Fonte: The Times of Israel
Foto: Olivier Fitoussi (Flash90)

2 thoughts on “Greves e caos ameaçam o retorno às aulas

Fechado para comentários.