Professor sem teste negativo não poderá lecionar

O Ministério da Educação informou os diretores das escolas, esta manhã, que a partir de 3 de outubro, os professores não vacinados que se recusarem a fornecer um teste COVID negativo não não poderão entrar nas instituições de ensino. “A ausência dele será considerada falta injustificada e que não dá direito ao recebimento de salário”, dizia o documento.

Além disso, eles também não terão permissão para ensinar remotamente. Os professores foram obrigados a apresentar o Passaporte Verde desde o início do ano letivo, em 1º de setembro, mas até agora os salários dos professores e professores de jardim de infância que se recusaram a fazê-lo não foram negados.

Na quarta-feira, o primeiro-ministro Naftali Bennett alertou durante uma reunião de gabinete que o preço de não oferecer aos alunos de Israel um processo de aprendizagem contínuo pode ser catastrófico.

Para garantir um processo contínuo para os alunos, os professores serão obrigados a avisar os diretores das escolas se pretendem se vacinar ou apresentar um teste negativo semanalmente.

Bennett continuou reiterando seu compromisso em evitar bloqueios ou outras restrições que levem ao pânico. “Quero seguir um caminho de risco calculado, não histeria”, disse ele.

LEIA TAMBÉM

O presidente do sindicato dos professores, Ran Erez, referiu-se à decisão do Ministério da Educação de que professores não vacinados não poderão lecionar sem prova negativa e não serão pagos, alegando: “Tem outras coisas que podem ser feitas em vez de punir imediatamente. Apoio a primeira parte da decisão – um professor que não foi vacinado ou testado não poderá lecionar. Eu me oponho à parte de não receber. Você pode fazer várias coisas e não punir de imediato, pode deixar trabalhar de casa, por exemplo com alunos isolados”. Erez acrescentou: “Não há dúvida de que haverá falta de professores”.

Sobre a obrigação de os alunos apresentarem um passaporte verde, Erez afirmou: “Não há diferença entre um professor e um aluno que põe em perigo o ambiente”.

Yaffa Ben-David, secretária-geral do Sindicato dos Professores de Israel, criticou fortemente a ideia de condicionar professores e alunos a apresentarem testes negativos para entrar nas escolas e disse que o sindicato entraria com uma petição no Tribunal Superior contra qualquer diretiva desse tipo.

“É um decreto que os professores não podem apoiar por um motivo simples: ele contradiz a natureza de seus empregos… Seu dever é incluir os alunos, aceitar todos eles, sem mencionar a lei de educação obrigatória”, disse Ben-David.

“Alguém deve ter enlouquecido e peço desculpas por falar tão duramente”, acrescentou ela.

Fontes: Haaretz e World Israel News
Foto: Gershon Elinson (Flash90)

2 thoughts on “Professor sem teste negativo não poderá lecionar

Fechado para comentários.