Israel estende proibição de entrada de estrangeiros

Todas as restrições de viagem impostas contra a variante Omicron serão estendidas por mais dez dias, anunciaram o primeiro-ministro Naftali Bennett e o ministro da Saúde Nitzan Horowitz na noite de quinta-feira.

As medidas, aprovadas no final do mês passado após a descoberta da nova variante, estavam previstas para expirar na noite de domingo.

As restrições incluem o fechamento total das fronteiras para estrangeiros e a obrigatoriedade de os viajantes vacinados que chegam ficarem em quarentena por três dias e fazerem um segundo teste PCR no terceiro dia, além daquele após o desembarque. Além disso, cerca de 50 países africanos foram designados como vermelhos – o que significa que os israelenses não podem viajar para estes países, a menos que obtenham permissão governamental especial.

Todos os repatriados devem ficar em quarentena por um mínimo de sete dias, incluindo o primeiro dia em um hotel de coronavírus até que o primeiro exame PCR realizado após o desembarque retorne negativo.

O requisito de quarentena para repatriados precisará ser aprovado também pelo Comitê de Saúde do Knesset, enquanto o período obrigatório em um hotel precisará da aprovação do governo e do Comitê de Constituição e Legislação.

Bennett e Horowitz também concordaram em discutir restrições adicionais e incentivos à vacinação nos próximos dias.

Uma reunião sobre o assunto no início do dia foi supostamente muito tensa, com Horowitz se opondo aos pedidos de Bennett por regulamentos mais rígidos.

De acordo com a mídia, o primeiro-ministro tem pressionado para impor restrições específicas aos não vacinados, pedindo para examinar a possibilidade de um bloqueio apenas para indivíduos não vacinados, proibindo-os de viajar para o exterior e aprovando um mandato de vacina. Além disso, o sistema de Passaporte Verde pode passar a ser aplicado também em shoppings.

Após a discussão da manhã, as autoridades anunciaram que a fiscalização contra violações dos requisitos do Passaporte Verde seria intensificada.

A partir de domingo, a polícia foi instruída a aumentar as visitas surpresa a empresas e locais e a proceder imediatamente para multar os transgressores, em vez de avisá-los primeiro.

Muitos locais e atividades em Israel estão atualmente acessíveis apenas para portadores do Passaporte Verde. Para certas indústrias e profissões, o documento é necessário também para ir ao trabalho. O Passaporte Verde é concedido a todos aqueles que são considerados protegidos contra COVID (vacinados duas vezes ou recuperados nos seis meses anteriores, vacinados ou recuperados com reforço) ou temporariamente para aqueles que se submetem a um teste.

Enquanto isso, a morbidade em Israel aumentou ligeiramente nas últimas semanas – embora a maioria dos casos seja causada pela variante Delta. Apenas 21 casos de Omicron foram identificados até agora, nenhum depois de segunda-feira.

Ao mesmo tempo, o número de pacientes graves caiu para menos de 100 pela primeira vez desde julho.

Fonte: Jerusalem Post

 

One thought on “Israel estende proibição de entrada de estrangeiros

  • 10 de dezembro de 2021 em 11:34
    Permalink

    Esse é o país “democrático “?! Quem não for vacinado terá tbm que andar com uma estrela na camisa tbm ?! “ não vacinado “ ou vão fazer uma tatuagem no braço?!?! Ahh esqueci pq não fazem um Campo de concentração para os “ nao vacinados” ?!?! Seria mais fácil até!!!
    Hi Bennet !!!
    Pois é, falamos tanto do “Holocausto” e estamos ressuscitando Hitler e vamos usar os mesmos métodos!!!!
    Parabéns Holyland e que D-us tenha misericórdia dia “nao vacinados” judeus…

Fechado para comentários.

%d blogueiros gostam disto: