Israel, Jordânia e EAU assinam acordo para fazenda solar

Israel, Jordânia e Emirados Árabes Unidos devem assinar um acordo, promovido pelo enviado dos EUA, John Kerry, para construir uma grande fazenda solar no deserto da Jordânia, informou o site americano Axios.

Este é o maior projeto de cooperação regional já realizado entre Israel e seus vizinhos. O plano prevê que a fazenda solar financiada pelos Emirados Árabes Unidos forneça energia principalmente para Israel, que construirá uma usina de dessalinização em sua costa mediterrânea para fornecer água à Jordânia.

O acordo apenas aumentará a importância estratégica do relacionamento entre Israel e a Jordânia, que melhorou significativamente desde que Bennett substituiu Netanyahu como primeiro-ministro. Também deve aliviar a crise de água na Jordânia.

O acordo é resultado de conversas secretas entre os três governos, que se tornaram cada vez mais sérias em setembro e amadureceram em um projeto de acordo no final de outubro. O acordo deveria ser assinado há duas semanas durante a conferência climática COP26 em Glasgow, com o rei Abdullah pronto para seguir em frente, mas Bennett pediu a ele que adiasse a assinatura por causa de uma preocupação que geraria no mercado interno críticas políticas, dias antes de uma votação crítica sobre o orçamento do Estado israelense, disseram autoridades israelenses.

A ideia do projeto surgiu da EcoPeace Middle East, uma ONG ambiental regional, com a lógica de que Israel precisa de energia renovável, mas carece de terras para grandes fazendas solares, como a Jordânia tem. A Jordânia, por sua vez, precisa de água, mas só pode construir usinas de dessalinização na remota parte sul do país, enquanto a costa de Israel está mais perto dos grandes centros populacionais da Jordânia.

LEIA TAMBÉM

A fazenda solar será construída pela Masdar, uma empresa de energia alternativa de propriedade do governo dos Emirados Árabes Unidos. Os planos preveem que a fazenda solar esteja operacional até 2026 e produza 2% da energia de Israel até 2030, com Israel pagando US$ 180 milhões por ano para serem divididos entre o governo jordaniano e a empresa dos Emirados. O acordo vincula o negócio de eletricidade a novas compras de água da Jordânia.

O acordo deve ser assinado em Dubai pela ministra de Energia israelense Karine Elharrar, o ministro da Água da Jordânia, Raed Abu Al-Saud, e o ministro das Relações Exteriores dos Emirados Árabes Unidos, Abdullah bin Zayed, com a presença de John Kerry.

Fonte: Hamodia
Foto: Iskra.piotrCC BY-SA 4.0, via Wikimedia Commons