Israelenses escondem sua identidade judaica no exterior

Mais de 50% dos israelenses temem o antissemitismo e escondem ser judeus quando viajam para o exterior e sentem que Israel não está fazendo o suficiente para combater o antissemitismo online, segundo um estudo da Ruderman Family Foundation.

Os resultados do estudo foram apresentados nesta segunda-feira ao Knesset Lobby para as Relações Israel-Judeus Americanos.

De acordo com a pesquisa, 62% dos israelenses acham que Israel deveria agir em relação a incidentes antissemitas em todo o mundo, incluindo o envio de equipes de resgate quando necessário.

Cerca de 38% acham que o estado está falhando em combater adequadamente o antissemitismo online. Apenas 5% acham que a comunidade internacional está fazendo o suficiente para erradicar o antissemitismo.

Além disso, 73% dos israelenses se identificam em grande parte com outros judeus em todo o mundo no caso de um incidente antissemita. Apenas 1% dos entrevistados disse não se identificar com essa situação.

A pesquisa descobriu ainda que 28% dos israelenses com idades entre 18 e 29 anos estão “muito preocupados” com sua segurança no exterior, uma sensação compartilhada por 16% dos israelenses com 60 anos ou mais. 21% na primeira faixa etária também relataram que eles ou seus conhecidos foram expostos a incidentes antissemitas, em comparação com 8% entre o último grupo.

LEIA TAMBÉM

Os israelenses mais jovens também expressaram maior preocupação em revelar de onde são quando viajam: cerca de 13% dos israelenses com idades entre 18 e 29 anos disseram que não dirão que são de Israel, em comparação com 8% dos israelenses com 60 anos ou mais.

No geral, 59% dos israelenses disseram que escondem o fato de serem judeus quando viajam para o exterior.
Quanto à comunidade judaica nos Estados Unidos, o estudo descobriu que 82% dos judeus americanos sentiam um vínculo mais forte com a comunidade judaica americana do que com Israel (55%).

Esse número representa uma diminuição da simpatia para com Israel, que ficou em 67% em 2019 e 64% em 2021.
Cerca de 64% disseram esperar que as instituições judaicas sejam mais inclusivas e diversificadas, um aumento de 4% em relação a 2019.

Fonte: Hamodia
Foto: Canva