Lag Baômer: uma pausa na tristeza

Lag Baômer é o 33º dia da Contagem do Ômer, um período de 49 dias que vai do dia seguinte a Pessach até Shavuot. É o nome dado à data judaica de 18 de Iyar.

De acordo com a tradição judaica, a tristeza e o pesar que acompanham a Contagem do Ômer são interrompidos neste dia.

Nesta data, a praga que estava matando os discípulos de Rabi Akiva cessou.

Também é o dia do aniversário de falecimento de Rabi Shimon Bar Yochai, o autor do Zohar, o livro básico da Cabalá, o misticismo judaico. A tradição diz que na data de seu falecimento, o dia estava repleto de uma forte luz, da alegria sem-fim pela sabedoria secreta que ele revelou aos seus alunos no Zohar.

Em Israel, tradicionalmente acendem-se fogueiras por todo o país.

LEIA TAMBÉM

As fogueiras simbolizam tanto a luz da sabedoria de Rabi Shimon Bar Yochai trazida ao mundo, como a vela de “yortzait” pela memória de seu falecimento. Cortes de cabelo e casamentos costumam ser feitos nesta data e há muitas festividades, acompanhadas de música e danças.

Durante as horas que antecederam seu falecimento, Bar Yochai revelou os segredos mais “sublimes” da Torá para assegurar que este dia seria sempre uma ocasião de grande alegria.

Rabi Shimon Bar Yochai foi condenado à morte pelos romanos por um crime capital: estudar e ensinar Torá. Junto com seu filho, Rabi Elazar, fogem e se escondem em uma caverna. Lá permaneceram durante doze anos, estudando, noite e dia, a Torá. Dentro da caverna, sustentaram-se do fruto de uma alfarrobeira e da água de uma fonte.

Transcorridos doze anos de reclusão, morre o governador romano, levando consigo o decreto de morte contra Rabi Shimon.

Quando o grande sábio e seu filho saem do isolamento da caverna, deparam com um homem que arava e semeava a terra. Os dois, que estavam recolhidos por mais de uma década numa caverna, exclusiva e ininterruptamente estudando a Torá, não podiam compreender como um judeu devotava o seu tempo a uma ocupação mundana e não a questões eternas, como a oração e o estudo da Lei. Encararam, pois, o homem, com desagrado. Eis que dos Céus lhes chega uma voz: “Para destruir o Meu mundo saístes da reclusão?” E a Voz lhes ordenou voltar ao isolamento da caverna, tendo lá permanecido por mais um ano, imersos no estudo. Quando, pela segunda e última vez emergem da caverna, pai e filho regozijaram-se ao constatar que os judeus de Israel se ocupavam do cumprimento dos sagrados Mandamentos Divinos. Já não o incomodava o que de mundano o cercava e disse a Elazar, seu filho, que o que ambos estudaram da Torá bastava para sustentar o mundo.

Lag Baômer é um dia de grande peregrinação ao túmulo de Rabi Shimon Bar Yochai na cidade de Meron, no norte de Israel. Em anos anteriores, cerca de 250.000 pessoas visitavam a cidade neste dia, dançando, orando e celebrando as dádivas espirituais de Rabi Shimon

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *