Livros didáticos palestinos incentivam o terror

O IMPACT-se (Instituto de Monitoramento da Paz e Tolerância Cultural na Educação Escolar), líder mundial em pesquisa, tradução e exposição da intolerância em livros escolares do Oriente Médio e de outros países, constatou um aumento de intolerância e um estímulo ao antissemitismo e ao terror nos livros do currículo escolar palestino para o período 2019-2020.

Os novos livros palestinos eliminam qualquer menção da história judaica e acordos de paz com Israel. Nos anos anteriores, os livros mencionavam pelo menos os acordos e conferências de paz anteriores entre Israel e a OLP – os Acordos de Oslo, os Acordos do Rio Wye, a Conferência de Annapolis de 2007. Nos livros atuais estão todos apagados. O tratado de paz entre a Jordânia e Israel foi abolido.

Os livros deste ano incentiva os alunos do segundo ano a se sacrificarem pela Palestina, transforma terroristas em heróis, usa estilingues contra soldados israelenses como exemplos de física e conta o número de “mártires” nas aulas de matemática.

Segundo o IMPACT-se eles não são livros didáticos, são livros de propaganda e incentivo ao terror. E conclui: “Até a pretensão de Arafat de querer paz e acabar com o terror contra Israel se foi. Quem culpa Israel pela falta de paz na região ignora deliberadamente como a OLP criou metodicamente gerações, não pela paz, mas pela guerra e pelo terror.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *