Marcha da Vida acontece hoje na Polônia

A Marcha Internacional da Vida acontecerá hoje na Polônia, após uma interrupção de dois anos devido ao COVID-19.

Apesar da possibilidade de se reunir pessoalmente, os organizadores dizem que agora enfrentam um desafio muito maior.

“A realidade é que a geração de sobreviventes do Holocausto está desaparecendo”, disse Shmuel Rosenman, presidente da organização e um dos fundadores do evento, ao JNS.

A Marcha da Vida realiza eventos educacionais durante todo o ano com o objetivo de combater o antissemitismo.

Seu principal evento é uma viagem educacional de uma semana na Polônia que culmina em uma caminhada de 3 km do campo de concentração de Auschwitz ao campo de extermínio de Birkenau, simbolizando as marchas da morte que ocorreram em 1945.

A Marcha, que acontece anualmente em Yom Hashoa, ou Dia da Lembrança dos Mártires e Heróis do Holocausto, conta com a participação de sobreviventes para ajudar a preservar a memória das 6 milhões de vítimas judias do Holocausto. “É nosso trabalho garantir que sua voz e sua memória nunca se apaguem”, sublinhou Rosenman, lembrando que a realidade é que, este ano, “temos apenas oito sobreviventes capazes de liderar a marcha. A passagem da chama para a próxima geração é uma questão urgente”.

LEIA TAMBÉM

A Marcha da Vida fez dessa causa o seu tema central. Seu site adverte: “A cada dia testemunhamos mais sobreviventes do Holocausto partindo. A cada dia enfrentamos suas histórias tornando-se memórias desbotadas. A cada dia enfrentamos um aumento na distorção e negação do Holocausto”.

Devemos evitar que a história seja reescrita. Devemos manter vivas as lições do Holocausto. Devemos lutar contra o antissemitismo e todas as formas de ódio”.

Em um comunicado divulgado pela organização na quarta-feira, Rosenman alertou que “estamos no último grão de areia”.

Juntamente com os sobreviventes, a marcha deste ano será acompanhada por várias delegações, incluindo uma composta por refugiados ucranianos, uma composta por vítimas do antissemitismo e, pela primeira vez, uma delegação dos Emirados Árabes Unidos.

Espera-se a participação de cerca de 2.500 pessoas de 25 países.

Fontes: The Jewish Voice
Foto: MOTL – International March of the Living

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.