Medicamento israelense reduz infecção de COVID-19

Uma empresa israelense de biotecnologia revelou uma taxa de sucesso de 100% nos primeiros 10 pacientes tratados com seu medicamento, no estágio inicial de um ensaio clínico no Hospital Rambam, em Haifa.

A empresa Bonus BioGroup apresentou os resultados preliminares de seu ensaio das Fases I e II a colegas na conferência International Society for Cell & Gene Therapy, em Nova Orleans, na semana passada, e compartilhou os resultados em um comunicado divulgado na Bolsa de Valores de Tel Aviv.

O Jerusalem Post revisou o PowerPoint apresentado na conferência e a carta de cinco páginas enviada à conferência. O CEO e diretor da empresa, Dr. Shai Meretzki, disse ao Jerusalem Post que a equipe agora está trabalhando na publicação de seus resultados revisado por pares, em um jornal.

O medicamento MesenCure, que consiste em células estromais mesenquimais ativadas (MSCs) que são isoladas do tecido adiposo de doadores saudáveis, reduz a inflamação, promove a regeneração do tecido pulmonar doente e alivia os problemas respiratórios e outros sintomas respiratórios provocados pelo COVID-19.

“Até agora, os resultados do tratamento com o medicamento MesenCure são extremamente impressionantes e uma melhora em relação aos resultados de outros tratamentos”, disse o Dr. Shadi Hamoud, principal pesquisador do ensaio clínico e vice-diretor do Departamento de Medicina Interna do Hospital Rambam.

LEIA TAMBÉM

Ele disse que os resultados foram tão promissores que o hospital já estava examinando o uso do tratamento para outras indicações.

A empresa relatou casos de 10 pacientes com COVID-19 com idades entre 45 e 75 anos, todos com sintomas graves. Noventa por cento deles também tinham comorbidades.

Os dados mostraram uma redução de 40% na inflamação pulmonar com o tratamento, de 55% para 15%, conforme visto nas radiografias de tórax.

Além disso, os pacientes apresentaram melhora significativa da função respiratória, com a saturação de oxigênio no sangue apresentando um aumento de 95% e o funcionamento do pulmão retornando aos níveis quase totalmente normais após apenas um mês.

Meretzki compartilhou uma imagem de laboratório de um pulmão saudável, um pulmão doente e um pulmão tratado com MesenCure.

“O pulmão tratado parece quase idêntico ao pulmão normal e saudável, cura completa, prevenção completa de danos ao pulmão”, disse Meretzki.

O mais surpreendente é que os pacientes receberam alta hospitalar após uma duração média de apenas um dia após a injeção. Não houve efeitos adversos associados ao MesenCure, informou a empresa.

Meretzki disse que o estudo acompanhou os pacientes por 30 dias após a administração do tratamento. Todos, exceto um, sobreviveram. O paciente que morreu não morreu de COVID-19, mas de uma comorbidade.

Muitos pacientes com COVID-19 morrem por causa de um aumento na produção de moléculas inflamatórias chamadas citocinas, ao invés do próprio vírus, explicou Meretzki. Quando o sistema imunológico secreta muitas citocinas, pode surgir uma chamada “tempestade de citocinas”. Essa resposta imunológica excessiva destrói o tecido pulmonar saudável, levando à síndrome ou insuficiência respiratória aguda e, eventualmente, à morte.

Meretzki disse que as MSCs são células “encontradas em cada um de nós. Elas são responsáveis ​​pelo controle de danos e uma variedade de atividades do dia-a-dia”.

Quando o surto de coronavírus começou, no início de 2020, Bonus começou a investigar o potencial das MSCs para possivelmente reduzir a “tempestade de citocinas” em pacientes com COVID-19.

O estudo de Fase II está programado para continuar no Hospital Rambam e incluir outros 50 pacientes. No entanto, por causa do baixo nível de infecção em Israel, a Bonus solicitou a aprovação para realizar os testes na Europa também, disse Meretzki.

Ele disse ao JPost que o estudo de Fase II deve ser concluído rapidamente.

Fonte: The Jerusalem Post
Foto: Bonus BioGroup

2 thoughts on “Medicamento israelense reduz infecção de COVID-19

Fechado para comentários.