Migração de pássaros põe em risco voos do Ben Gurion

Com a migração bianual de pássaros em Israel, especialistas alertam para o perigo de voos comerciais entrando ou saindo do Aeroporto Ben Gurion atingirem os pássaros e sofrerem danos, representando um sério risco de segurança para os passageiros.

Situado na interseção entre a África e a Eurásia, o estreito espaço aéreo israelense é atravessado por 500 milhões de aves duas vezes por ano, em uma das maiores migrações da Terra.

Com os aeroportos finalmente superando um verão de atrasos de voos, superlotação e bagagem perdida, especialistas do Fundo Nacional Judaico (KKL-JNF) estão alertando que a migração em massa representa um risco de segurança para os viajantes, pedindo às autoridades de aviação que alterem as rotas de voo nos meses de setembro e outubro.

Yitzchak Raz, ex-investigador-chefe de acidentes de aviação, disse ao Canal 12 que “quando um avião chega com velocidade e impacta os pássaros, mesmo o menor dano é suficiente para lascar o metal das lâminas e entrar no motor”.

“Isso pode causar fragmentação no motor e até falha no motor”, disse Raz.

Um voo da El Al de Tel Aviv para Milão em 3 de agosto foi forçado a retornar ao Ben Gurion depois de atingir um pássaro ao norte de Chipre, causando danos à aeronave, enquanto em 2019 um voo operado pela companhia aérea russa Ural foi forçado a fazer um pouso de emergência em um milharal depois de atingir um bando de pássaros ao decolar de um aeroporto de Moscou. Vinte e três pessoas ficaram feridas no incidente.

LEIA TAMBÉM

“A preocupação é que um pássaro seja sugado para dentro do motor. Não estou falando do que aconteceria com o pássaro, mas do que aconteceria com o motor da aeronave. Seria uma questão de segurança da aviação por excelência”, disse Yaron Cherka, observador-chefe de pássaros do KKL-JNF.

“Hoje, por exemplo, os pássaros voaram mais para o leste e tudo estava bem. Há dias em que eles voam exatamente sobre o nosso caminho, é simplesmente um desastre”, disse ele ao Canal 12.

Cherka disse que levantou a questão com a Autoridade de Aeroportos, pedindo que preste muita atenção e, quando necessário, mude as rotas de voo durante a migração de dois meses.

Yigal Siman Tov, um observador voluntário de pássaros do KKL-JNF, descreveu a “ansiedade” que sente toda vez que vê um bando de pássaros voando perto das rotas de voo do aeroporto, acrescentando: “É simplesmente assustador o que está acontecendo aqui”.

Fonte: The Times of Israel
Foto: Canva