Centro de observação de pássaros ganha destaque na ONU

O International Birding & Research Center de Eilat foi declarado pela Conferência das Partes da ONU (COP-15) como um dos mais importantes projetos de conservação da biodiversidade do mundo. A Conferência da ONU sobre Biodiversidade, que aconteceu online em outubro passado, terá uma fase presencial em 25 de abril.

A COP-15 de outubro examinou 258 projetos diferentes de 196 organizações em 26 países e 7 continentes e escolheu 107 “Práticas de Destaque Global”, dentre as quais os organizadores escolheram a iniciativa Eilat como um dos 19 projetos mais destacados.

“Nossa maneira de manter nossos céus e locais de parada seguros e nutritivos para as aves migratórias passa pelo envolvimento de nossas comunidades e tomadores de decisão”, disse Noam Weiss, diretor do International Birding & Research Centre, Eilat.

Eilat e o sul do deserto de Arava estão localizados na única ponte terrestre que conecta a Eurásia e a África e na orla do vasto e hostil Deserto do Saara, tornando-o um dos gargalos de migração mais críticos do mundo, usado por milhões de pássaros todos os anos.

A conservação da passagem aérea envolve manter o céu livre de perigos, como turbinas eólicas, antenas, linhas de energia problemáticas e até mesmo construir janelas nas quais os pássaros colidam.

Weiss observou que as aves que costumavam desfrutar de habitats naturais como as terras alagadas de Eilat, hoje praticamente extintas, são obrigadas a usar habitats artificiais: jardins, campos, pomares, estações de tratamento de esgoto e salinas.

LEIA TAMBÉM

“Para melhorar esses locais de parada feitos pelo homem para as aves, precisamos do apoio e da participação do público e de colaborações criativas”, explicou Weiss. “Para convencer um agricultor de que as aves podem fazer controle de pragas tão bem ou até melhor do que os pesticidas e, portanto, devem se sentir seguras e convidadas para as fazendas, ou para colaborar com a empresa de água local Ein Netafim para tornar o reservatório de água tratada mais seguro e um local melhor para os pássaros, precisamos de raízes profundas em nossas comunidades, pesquisas que envolvam os agricultores e toneladas de boa vontade”.

“Qualquer visitante do Santuário de Pássaros de Eilat que administramos perceberá que foi construído pensando nas necessidades das aves, mas ao mesmo tempo permite que os visitantes apreciem e se identifiquem com as aves migratórias e desenvolvam o desejo de mantê-las seguras”, disse Iris Gorin da Sociedade para a Proteção da Natureza em Israel, que dirige a estação.

Tzadok Tzemach, o gerente de manutenção do santuário de pássaros, sempre quis que os moradores de Eilat considerassem o santuário sua casa. “Oito anos atrás, começamos a realizar grandes eventos comunitários no santuário, convidando nossas comunidades a observar, compreender e amar os pássaros. Então eles vieram aos milhares. Isso se soma a escolas, locais de trabalho e famílias que até trazem seus filhos uma hora antes do início das aulas, para ver os pássaros todas as manhãs”.

O sucesso do centro na participação da comunidade se traduziu instantaneamente em conquistas em campanhas de conservação. Quatro parques eólicos localizados na rota principal e locais de parada foram fechados pelos voluntários do santuário de pássaros e suas comunidades.

O reservatório de água tratada passa agora por uma grande mudança para o bem dos pássaros, pelas entusiastas equipes da Ein Netafim, assim como da salineira Sal da Terra, que investiu na biodiversidade de suas salinas, hoje batizadas de “Piscinas Flamingo”. Os cabos das antenas foram removidos, as frentes dos edifícios foram regulamentadas para não ter mais de 50% de vidro, tudo isso para a segurança das aves.

Fonte: Jewish Press
Foto: MboeschCC BY-SA 4.0 (Wikimedia Commons)