Quase 100.000 casais mistos com um cônjuge judeu

De acordo com o Dr. Netanel Fisher, do Centro Acadêmico de Direito e Ciência Sha’arei Mishpat em Hod Hasharon, quase 100.000 casais em Israel são formados por um cônjuge judeu casado com um não-judeu. Fisher baseia-se em dados do Escritório Central de Estatísticas (CBS) e do Ministério do Interior.

Fisher diz que os dados mostram que em Israel há um total de 1,3 milhão de casais nos quais pelo menos um dos cônjuges é judeu. Destes, em 1,26 milhão de casais, ambos os cônjuges são judeus e 85.000 casais têm um não-judeu e um judeu.

Além disso, os dados mostram que na maioria desses casais mistos a mulher não é judia: 52.000 homens judeus são casados com uma não-judia, em comparação com 32.000 mulheres judias casadas com um não-judeu. A descendência do homem judeu e da mulher não-judia não será judia de acordo com a lei judaica.

Os dados do CBS mostram que a maioria dos cônjuges não judeus, 87%, não são religiosos, e que, sugere o relatório, a maioria deles são da ex-União Soviética.

Além disso, apesar das campanhas do Lehava e de outros grupos antiassimilação, os dados da CBS mostram que mais mulheres judias se casam com homens árabes do que o contrário. O artigo do Dr. Fisher, “Integrando imigrantes não judeus e a formação da nacionalidade étnico-cívica de Israel: de Ben Gurion até o presente”, ganhou o prêmio de artigo de destaque da revista Middle Eastern Studies em 2017.

LEIA TAMBÉM

A organização israelense Yad L’Achim, cujo slogan é “Não desistimos de um único judeu”, diz que centenas de casos são relatados a eles anualmente sobre meninas judias e mulheres se envolvendo com parceiros árabes ou beduínos. O grupo fez seu nome, especialmente nos círculos religiosos, ao providenciar o resgate de centenas de mulheres judias e seus filhos ao longo dos anos, que tinham estado presas em relacionamentos abusivos com seus maridos árabes e ligaram para Yad L’Achim para obter ajuda.

Em um país onde as questões de status pessoal são controladas pelo Rabinato Chefe Ortodoxo, os judeus israelenses que desejam se casar fora de sua fé não podem fazê-lo no país, já que a lei judaica proíbe os casamentos mistos. Ainda não há provisão para casamento civil em Israel, como em muitos outros países, onde um juiz pode assinar o matrimônio.

O ministro das Finanças, Avigdor Liberman, cujo partido é apoiado principalmente por imigrantes da ex-União Soviética, há anos pressiona por uma opção de casamento civil. O Rabinato não cederá, pois teme que a proliferação de tais uniões tenha um efeito negativo sobre o caráter judaico do único estado judeu do mundo.

Alguns casais, então, viajam para lugares como Chipre, que fica a menos de uma hora de voo de distância, para se casar em uma cerimônia civil depois de preencher uma série de papeis e pagar uma taxa de talvez algumas centenas de dólares.

No que diz respeito ao governo israelense, uma vez que apresentem a devida certidão no retorno, podem ser listados como “casados” em todos os seus documentos, inclusive na carteira de identidade, e receber todos os direitos sociais e legais que isso acarreta. Eles apenas não serão reconhecidos como um casal pelas autoridades religiosas.

Fontes: World Israel News e Jewish Press

One thought on “Quase 100.000 casais mistos com um cônjuge judeu

  • 12 de novembro de 2021 em 12:28
    Permalink

    ” Eles apenas não serão reconhecidos como um casal pelas autoridades religiosas.” Apenas???!!!
    E os filhos deles nao sao considerados judeus se nao forem de mae judia…. Com isso a assimilacao cresce assustadoramente!! Apenas???

Fechado para comentários.

%d blogueiros gostam disto: