Milhares de israelenses retidos na Grécia após bloqueio

A companhia aérea israelense Israir recebeu autorização das autoridades gregas para enviar voos de resgate para Salônica, na Grécia com o propósito de trazer de volta os israelenses ali retidos.

O governo grego anunciou, na segunda-feira, que decidiu fechar completamente o aeroporto nas cidades de Salônica e Serres, no norte do país, devido ao aumento das taxas de morbidade nas áreas do norte do país, impedindo que milhares de israelenses pudessem voltar para casa.

Atenas e várias áreas no norte da Grécia entram em bloqueio nesta terça-feira, após um aumento dramático nas infecções diárias por coronavírus nos últimos dias, tendo registrado 1.686 novos casos na sexta-feira, 2.055 no sábado e 1.678 no domingo, elevando o número total de casos no país até agora para 40.929 desde fevereiro, de acordo com o site Worldometer.

Como comparação, durante quase todos os primeiros dois terços de outubro, não houve mais de 400 novos casos por dia, chegando a mil por dia a partir da terça-feira, dia 27, com 1.256.

LEIA TAMBÉM

Na tentativa de limitar a propagação do vírus a outras partes do país, o primeiro-ministro grego Kyriakos Mitsotakis anunciou uma série de restrições que devem durar até novembro. Isso inclui o fechamento de restaurantes, bares, cafés, cinemas e academias na maior parte do país, a imposição de um toque de recolher noturno em todo o país e o fechamento de todas as atividades no aeroporto de Salônica por duas semanas.

As companhias aéreas israelenses El Al e Israir anunciaram que vão cancelar todos os voos de e para o norte da Grécia, deixando retidos milhares de turistas israelenses que esperavam escapar das medidas de bloqueio em Israel. Devido ao bloqueio esperado nessas áreas, os israelenses não podem viajar para outras partes do país que ainda oferecem voos para Israel.

Na tarde de segunda-feira, a Israir recebeu aprovação das autoridades gregas para enviar voos de resgate para Salônica na terça-feira com o objetivo de repatriar os israelenses. A aprovação foi dada depois que a ministra dos Transportes, Miri Regev, pediu que os aviões israelenses pudessem pousar, apesar do bloqueio, de acordo com a Ynet.

A Grécia é atualmente o único país “verde” que permite aos israelenses entrar e sair de suas fronteiras sem entrar em quarentena. Outros destinos que permaneceram disponíveis para os israelenses, como a Sérvia, já se tornaram “vermelhos”.

Enquanto funcionários do Ministério da Saúde previam que a Grécia logo fosse classificada  como um país vermelho, a decisão foi adiada devido à “pressão política e econômica para mantê-la verde”, disseram funcionários do Ministério da Saúde ao N12 na semana passada.

One thought on “Milhares de israelenses retidos na Grécia após bloqueio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *