Ministério da Saúde diz que é cedo para quinta dose

Autoridades do Ministério da Saúde disseram, na quarta-feira, que, apesar do ressurgimento da morbidade do COVID-19 em Israel, uma quinta dose de vacina ainda era desnecessária.

Epidemiologistas concluíram que uma nova campanha de vacinação está fora de cogitação.

Funcionários do ministério disseram que são necessárias mais deliberações sobre o assunto, dependendo da trajetória da doença, mas estão se concentrando em fornecer a quarta dose da vacina àqueles que ainda não a receberam.

No entanto, especialistas recomendaram restabelecer a obrigatoriedade do uso de máscara em ambientes fechados e em grandes reuniões à luz do recente aumento nos casos de coronavírus.

Além disso, o ministério disse que o regime padrão de vacinação COVID-19, que inclui duas doses de vacina e uma dose de reforço, se tornará obrigatório para todos os profissionais de saúde em Israel, dependendo da aprovação do diretor-geral do Ministério da Saúde, Prof. Nachman Ash.

Enquanto isso, o chefe do gabinete do coronavírus Salman Zarka disse nesta quarta-feira que o número R do coronavírus, que indica quantas pessoas em média um único paciente com COVID infecta, era instável e ficou em 1,19.

“O número de reprodução depende do número de pessoas que realizam testes de COVID-19, então não posso dizer se os dados indicam o início de uma nova onda de coronavírus. Estamos vendo morbidade persistente com fluxos e refluxos ocasionais.

LEIA TAMBÉM

De acordo com os dados do Ministério da Saúde, houve uma alta de 20,38% dos testes positivos para COVID-19 feitos na terça-feira, com 4.585 novos casos.

19.019 israelenses testaram positivo na semana passada, um aumento de 27,7% em relação à semana anterior.

Apenas cerca de 40% da proteção imunológica dos israelenses ainda está em vigor. Cerca de 813.600 israelenses receberam a quarta vacina, contra 6.710.000 que receberam a primeira.

“Eu recomendo ao público, e especialmente à população em risco, que, definitivamente, continuem usando máscaras em locais fechados e façam o teste se exposto a um paciente. A recomendação de testagem é para toda a população e, se alguém der positivo para COVID, deve ficar em casa e evitar contato próximo com a população em risco”, concluiu Zarka.

Mais cedo, o primeiro-ministro Naftali Bennett se reuniu com o ministro da Saúde Nitzan Horowitz e autoridades de saúde para discutir possíveis medidas para conter o aumento de casos, mas concordou que nenhuma era necessária por enquanto.

Durante a reunião, Horowitz disse que o Ministério da Saúde se antecipou o atual aumento nos casos.

“Mesmo quando não está nas manchetes, continuamos acompanhando e examinando os dados e monitorando a morbidade. Atualmente, vivemos ao lado do COVID, portanto, devemos continuar monitorando-o o tempo todo”

Fonte: Ynet
Foto: Canva

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.