Ministério da Saúde retoma vacinação, hoje

O Ministério da Saúde retoma hoje a administração das primeiras doses da vacina da Pfizer, depois de terem sido suspensas por 24 horas devido a preocupações com uma eventual escassez.

A data de validade do estoque atual de vacinas da Pfizer em Israel é 31 de julho. Por isso, o Ministério da Saúde disse que interromperia a administração das primeiras doses após 10 de julho, uma vez que não haveria vacinas não vencidas disponíveis para a segunda dose, três semanas mais tarde.

Mas o primeiro-ministro Naftali Bennett anunciou, na manhã de domingo, que havia intermediado um acordo com o CEO da Pfizer, Albert Bourla, para antecipar a próxima remessa de vacinas da empresa para 1º de agosto.

Bennett apelou a todos os que ainda não foram vacinados, “principalmente os jovens, mas também os idosos”, a fazê-lo o mais rapidamente possível. O primeiro-ministro tem pedido aos adolescentes, a faixa etária menos vacinada em Israel, a tomar a vacina, à medida que os casos continuam a aumentar e a variante Delta se instala.

Nachman Ash, o novo diretor-geral do Ministério da Saúde, disse ao Canal 12 News que Israel aprovou dar uma terceira dose de reforço para aqueles que estão imunocomprometidos.

LEIA TAMBÉM

Ash disse que dezenas de milhares de israelenses que são elegíveis para a terceira dose poderão agendar uma consulta com seu plano de saúde nos próximos dias. Ele acrescentou que o ministério “está considerando” uma dose de reforço para todos os maiores de 60 anos, mas é improvável que a decisão seja tomada em breve.

O Ministério da Saúde também recomendou administrar a vacina a algumas crianças menores de 12 anos com doenças pré-existentes graves. A recomendação ainda não foi totalmente aprovada pelo governo. A vacina Pfizer atualmente tem aprovação de emergência do FDA apenas para maiores de 12 anos.

Ash enfatizou que, devido às altas taxas de vacinação de Israel, ele não espera que os casos atinjam os números que alcançaram nas ondas de COVID anteriores.

Mas, observou, isso ainda é difícil de prever: “Não sei se planejaria um grande casamento para setembro”.

Ele acrescentou que o ministério ainda está considerando trazer de volta o sistema “Passaporte Verde”, que restringe certas atividades àqueles que foram vacinados.

Na noite de domingo, 248 israelenses tinham testado positivo para COVID desde a meia-noite, e 263 no dia anterior. São 3.984 casos de COVID ativos, com 76 pessoas internadas e 47 em estado grave, segundo dados do Ministério da Saúde. Seis pessoas em Israel morreram de COVID na semana passada, incluindo uma pessoa no domingo.

Fonte: The Times of Israel
Foto Angelo Esslinger (Pixabay)