Ministros das Finanças e Saúde divergem sobre reabertura

O ministro das Finanças, Israel Katz, e o ministro da Saúde, Yuli Edelstein discutiram sobre a estratégia de saída do bloqueio, já que os testes de vírus positivos atingiram a taxa mais baixa desde o início da segunda onda da pandemia em junho.

Eles se reuniram-se ontem para resolver um plano para permitir a retomada dos negócios, mas o encontro terminou sem qualquer acordo. Katz está pressionando para que todas as lojas tenham permissão para reabrir na próxima semana, mas Edelstein se opõe a fazê-lo nesta fase.

As pré-escolas foram reabertas em 18 de outubro, e os ministros do gabinete do coronavírus aprovaram, na segunda-feira, a reabertura de escolas para crianças da primeira à quarta série no início da próxima semana.

Eles também aprovaram o levantamento de uma série de outras restrições destinadas a conter a pandemia, como reabertura de cabeleireiros, salões de beleza e outros negócios que atendam um único cliente por vez a partir do domingo.

LEIA TAMBÉM

Durante a reunião de segunda-feira, a maioria dos ministros foi a favor da abertura de todas as lojas, mas a decisão foi adiada devido à oposição do Ministério da Saúde. “Não vou apoiar a abertura de comércio. Estamos brincando com fogo aqui”, disse Edelstein.

De acordo com o plano de saída do bloqueio de nove estágios do Ministério da Saúde, as aberturas de negócios só ocorreriam na terceira fase, marcada para 15 de novembro, no mínimo. Hoje, os ministros vão votar para que o plano inicial seja reduzido a seis fases.

Após o bloqueio inicial do coronavírus na primavera, as autoridades de saúde abandonaram seu plano em meio à pressão dos ministros e abriram quase todas as escolas e empresas de uma só vez no início de maio. Esse movimento provocou uma taxa de infecção descontrolada durante o verão, que se multiplicou quando as escolas foram abertas em 1º de setembro.

Volta às aulas

Nesta quarta-feira, o Ministério da Educação revisou seu muito criticado programa de reabertura das escolas primárias, introduzindo um plano onde todas as crianças da primeira à quarta série frequentariam a escola quatro dias por semana.

A medida, anunciada pelo ministro da Educação, Yoav Gallant, veio em resposta às fortes críticas em relação aos planos anteriores do governo de ter alunos na primeira e segunda séries por apenas meia semana, de modo que houvesse espaço suficiente para colocá-los em cápsulas isoladas.

De acordo com o novo plano, os alunos da 1ª à 2ª série irão à escola quatro dias por semana, contra três na proposta inicial. As 3ª e 4ª séries também assistirão às aulas quatro dias por semana. As crianças da quinta série e acima continuarão com o aprendizado remoto.

2 thoughts on “Ministros das Finanças e Saúde divergem sobre reabertura

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *