Passaporte verde nas escolas e restrições no Kotel

Os ministros do gabinete Corona se reuniram na noite passada para aprovar o plano de retorno às aulas, bem como para expandir a aplicação do Passaporte Verde.

Foi aprovada por unanimidade a extensão do “Passaporte Verde” de modo que também se aplique a funcionários do setor público, incluindo professores e funcionários em ambientes de educação infantil. Ou seja, os trabalhadores não vacinados serão obrigados a apresentar resultado negativo do teste corona duas vezes por semana, que será realizado nos complexos de testes rápidos implantados em todo o país.

As regras básicas para o início do ano letivo também foram aprovadas. A reunião foi realizada via zoom porque o primeiro-ministro Naftali Bennett e o resto da delegação que voou para a reunião oficial com o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, estão isolados.

Na o reunião os ministros aprovaram o plano para as orações no Muro das Lamentações .

Orações no Kotel – Muro das Lamentações

– Restrição de participantes de até 8.000 fiéis.

– Divisão dos fiéis na praça do Muro das Lamentações em 18 cápsulas.

– Obrigação de usar máscaras ao ar livre, com fiscalização realizada continuamente.

– Segundo a Halacha é permitida a participação nas Slichot por visualização da tela, sob a responsabilidade da Western Wall Heritage Foundation.

– Recomendação para a ida apenas de vacinados e recuperados, publicação das decisões da Halacha e das datas de Slichot, publicação das restrições de segurança no local.

– Direcionamento das pessoas nas entradas da Cidade Velha pela Polícia de Israel.

LEIA TAMBÉM

Durante a discussão do gabinete, o ministro da Saúde, Nitzan Horowitz, disse que as reuniões públicas deveriam ser restritas, o que ameaça o ano letivo. “Precisamos limitar as reuniões, especialmente porque estamos assumindo o risco de abrir um ano letivo, mas não está na agenda deste gabinete simplesmente porque não há capacidade de coordená-lo com outros ministérios, nem há disposição da parte do Ministério das Finanças de compensar os setores afetados. Coisas menos importantes, como grandes eventos, ameaçam o início do ano letivo”

Volta às aulas

Ontem de manhã, em uma discussão realizada pelo Primeiro Ministro Naftali Bennett com a Ministra da Educação,  Yifat Shasha Bitton, o Ministro da Saúde, Nitzan Horowitz, o Diretor Geral do Gabinete do Primeiro Ministro,  o Diretor Geral do Ministério da Saúde, Professor Nachman Ash, o Diretor Geral do Ministério da Educação, o diretor da associação dos governos locais, Haim Bibas, o procurador-geral adjunto, o ministro adjunto da defesa e outras autoridades estabeleceram as regras básicas para o sistema educacional.

– Testes de corona rápidos serão amplamente usados.

– O “Passaporte Verde” será aplicado aos trabalhadores do sistema de ensino, paralelamente à sua aplicação a outros setores da economia. Os trabalhadores não vacinados serão obrigados a apresentar um resultado negativo do teste corona duas vezes por semana, que será realizado nos complexos de teste rápido implantados em todo o país.

– A partir da quarta-feira, 09.01.2021, as turmas de  8.a a 12.a séries, em que o percentual de alunos que receberam a primeira vacina seja inferior a 70%, vão estudar online, apenas nas cidades vermelhas. Observa-se que a primeira dose da vacina por si só não conferirá um certificado do “passaporte verde” para entrada nos locais e atividades.

– A partir de outubro, a porcentagem de imunizados na sala de aula será calculada de acordo com duas doses de vacina, e não uma, como será o caso ao longo de setembro.

– Durante o mês de setembro, os alunos que estudarem online serão incentivados a se vacinar nas escolas a fim de tornar o aprendizado presencial.

Fonte: Kipa
Foto: Olivier Fitoussi (Flash90)

One thought on “Passaporte verde nas escolas e restrições no Kotel

Fechado para comentários.