Profecias islâmicas preveem o fim de Israel em 2022

Esta semana, ataques terroristas tiraram a vida de 11 israelenses. Alguns especialistas acreditam que essa violência resulta de “profecias” muçulmanas que circulam há 25 anos. E com o início do Ramadã no sábado à noite, espera-se que essa violência, por muitas razões, fique ainda maior.

Em 1997, Sheikh Bassam Jarrar, um estudioso palestino afiliado ao Hamas, escreveu “O Desaparecimento de Israel em 2022 – Profecia do Alcorão ou Coincidência Numérica”. No livro, Jarrar interpretou uma seção do Alcorão conhecida como Sura al-Isra, que afirmava que os judeus corromperam a terra duas vezes. Jarrar interpretou isso como significando que os judeus corromperam Medina no tempo de Maomé e viriam a corromper Jerusalém nos dias atuais.

Usando a numerologia árabe conhecida como Hisāb alJummal, Jarrar inspecionou as aparições no Alcorão do número 19, um número significativo no Islã. Ironicamente, ele cita uma “lenda ou profecia” que ele atribuiu a uma velha judia de Tiberíades que, antes que o Estado fosse estabelecido, previu que Israel existiria por 76 anos (quatro vezes 19) e nada mais.

Com base em seus cálculos, Jarrar afirmou que 2022 foi o início da queda de Israel. Em 5 de março deste ano, Jarrār previu que um grande evento marcaria o início da “queda israelense”.

O governo israelense deportou Jarrar para o Líbano em 1993, mas seu livro provocou uma onda de “profecias” sobre o fim iminente de Israel. Em entrevista à Al Jazeera, Sheikh Ahmad Yassin, fundador do Hamas que morreu em 2004, disse à Al Jazeera que Israel deixará de existir em 2027. Ele baseou isso na história de 40 anos de peregrinação pelo deserto mencionada no Alcorão e na Torá. Ele explicou que este era um exemplo de uma geração inteira como um estágio de mudança. Cada fase é de quarenta anos, e após a conclusão de duas gerações, Israel perderá seus fundamentos e entrará em colapso.

O xeque iraquiano Mohammed Ahmed Al-Rashed citou Yassin ao listar sete razões pelas quais Israel deixará de existir este ano. Ele também relatou uma história sobre uma velha judia que, ao ouvir em 1948 que Israel havia declarado sua independência, citou uma “profecia” de que isso era um sinal de sua destruição final e não duraria mais de 76 anos.

LEIA TAMBÉM

Al-Rashed vinculou suas conclusões à astronomia e astrologia judaicas, alegando que os rabinos atribuem muita importância aos eventos astrológicos.

Em 2014, o ministro do Interior do Hamas, Fathi Hamad, disse que os palestinos libertariam toda a Palestina “dentro de oito anos” em 2022. Em 2015, em entrevista à TV libanesa, o imã da mesquita de Al Quds em Sidon, Maher Hamoud, disse que “de acordo com cálculos baseados no Alcorão, o fim de Israel será em 2022”.

Em fevereiro, o Dr. Mohammad Makram Balawi, escritor e acadêmico palestino baseado em Istambul, escreveu que “para muitos palestinos, 2022 é um ano excepcional, pois marca o início da ‘queda’ da ocupação israelense”.

“Como essas profecias podem afetar as atitudes e comportamentos das pessoas que acreditam nelas pode ser a pergunta certa. No entanto, encontraremos muitos no mundo árabe traumatizado que esperariam que elas se tornassem realidade”, escreveu ele.

Talvez a mais influente dessas profecias tenha sido declarada na entrevista à Al Jazeera pelo Sheikh Ahmad Yassin, quando ele citou a versão do Alcorão do Êxodo em que Alá ordenou aos filhos de Israel que vagassem no deserto por 40 anos para que a geração covarde morresse e uma geração guerreira surgisse em seu lugar.

Yassin afirmou que “o povo palestino foi derrotado em 1948 e expulso de sua pátria”. Ele observou que, 40 anos depois, a Intifada eclodiu em Gaza e “obrigou Israel e o mundo a reconhecer a existência do povo palestino”. Ele usou isso como base para sua afirmação de que Israel terminaria nos próximos 40 anos.

Fonte: Israel365News

One thought on “Profecias islâmicas preveem o fim de Israel em 2022

  • 1 de abril de 2022 em 12:07
    Permalink

    Evidente! Com um governo esquerdista que trouxe arabes pela primeira vez no governo; fraco em responder a violencia arabe; e ainda por cima seguindo a politica suicida dos americanos, o que se pode esperar? mais mortes de israelenses!! Estes esquerdistas que trouxeram sofrimento milhares de familias com Oslo agora estao trazendo mais sofrimento judeu!!
    Hora de expulsar esses traidores do poder e se possivel de israel!!

Fechado para comentários.

%d blogueiros gostam disto: