Centro de memória do Holocausto em Luxemburgo

Um centro de aprendizado e lembrança sobre o Holocausto em Luxemburgo deve ser inaugurado em maio de 2022, quando o Grão-Ducado tomar medidas para colocar em ação um acordo de restituição histórico assinado no ano passado.

O governo de Luxemburgo assinou, em janeiro de 2021, um acordo de restituição com o Consistório Judaico de Luxemburgo, afiliado do European Jewish Congress no país.

Como parte do acordo, o Estado concordou em comprar, reformar e cobrir os custos operacionais de um centro de aprendizagem comemorativo na abadia de Cinqfontaines, na cidade de Troisvierges, que foi usado como local de deportação durante a Segunda Guerra Mundial.

Os projetos piloto na abadia serão lançados em meados de maio de 2022, disse o governo.

Um programa mais completo será oferecido desde o início do ano letivo de 2022-2023, incluindo workshops contra o discurso de ódio.

O centro de educação política do Luxemburgo (ZpB) e o serviço nacional de juventude (SNJ) estão ajudando a desenvolver as atividades do novo centro, que estará aberto às escolas, mas também ao público em geral.

No futuro, o site também oferecerá mais informações sobre o papel que desempenhou durante o Holocausto, já que o regime nazista deportou judeus da abadia.

LEIA TAMBÉM

“Recordar não significa apenas relembrar o passado, mas também mostrar respeito por aqueles que viveram esta história dolorosa. Relembrar também significa analisar o passado com um certo pensamento crítico, para evitar hoje qualquer ressurgimento do ódio e qualquer incitamento ao ódio. Nesse contexto, o centro Cinqfontaines cumprirá uma dupla missão, tanto comemorativa quanto educativa”, disse o ministro da Educação, Claude Meisch.

Nesse espírito, o centro acolherá, nas próximas semanas, os refugiados da Ucrânia.

“Isso vai impactar as atividades do centro, mas este ato de humanismo ilustra os próprios valores que o centro pretende defender e transmitir”, segundo o comunicado.

Fonte: European Jewish Congress
Foto: Dominio Público. Nazistas marcham do lado de fora de uma sinagoga em Luxemburgo durante a Segunda Guerra Mundial.