Quanto mais velho, melhor o vinho?

Por Renata Rosenthal

Dizem que “panela velha é que faz comida boa”. Será que isso vale para o vinho também? Primeiro, vamos entender o que significa o envelhecimento de um vinho.

O vinho passa por algumas etapas desde o momento em que a uva é colhida, até ele estar na prateleira das lojas ou na sua mesa de jantar. Durante a produção do vinho, é opção do enólogo responsável incluir ou não algumas etapas. Podemos falar sobre todas essas etapas mais adiante. O que é importante entendermos agora é que, após a fermentação, há algumas formas de o vinho envelhecer ou não.

O vinho envelhece bem quando ele é produzido de forma pensada para isso acontecer. Quando o enólogo quer que o vinho envelheça, ele precisa trabalhar na estrutura do vinho para que isso aconteça. Isso significa que não é qualquer vinho que envelhece bem. Ou seja, saber que o vinho é velho não é necessariamente um indicativo de qualidade, pois se o enólogo não planejou o envelhecimento daquele vinho e você esperou 10 anos para abrir a garrafa, provavelmente o vinho estará estragado.

Quando falamos de envelhecimento, há algumas formas possíveis de executar esse processo. Uma delas é na própria vinícola, logo após a fermentação. Há produtores que mantêm o vinho onde ele foi fermentado (seja na barrica de carvalho, seja no tanque de inox) e aguardam meses ou até anos para engarrafá-lo; assim como há também produtores que transferem o vinho para barricas de carvalho após a fermentação e aguardam da mesma maneira para engarrafar. Por isso, muitas vezes quando compramos vinhos em 2020, podemos encontrar safras de 2018 ou 2017 à venda. Isso não quer dizer que o vinho está na prateleira desde o ano de sua safra: esse vinho pode ter sido engarrafado somente em 2020, quando saiu para vendas.

Alguns produtores que programaram o envelhecimento de um determinado vinho colocam no contrarrótulo ou na ficha técnica do vinho (que costuma ter no site da vinícola) a informação de quantos anos pode levar para o vinho chegar ao seu ápice de qualidade, o que dá um norte ao consumidor de quando é o ideal para abrir a garrafa. Mas claro que isso não é regra, muitas vezes o produtor pode dizer que o vinho chega ao ápice em cinco anos e você abrir em três e ele estar incrível. É apenas uma sugestão de consumo. Se você não encontrar essa informação, sugiro que não demore tanto para consumir seus vinhos.

Outro fator a ser considerado também é a condição de armazenamento. Se aquele vinho foi produzido com estrutura suficiente para envelhecer e não for armazenado corretamente, não há vinho que aguente anos. Podemos falar sobre armazenamento de vinhos também adiante. Lembrando também que aqui estou falando somente de vinhos fechados. Quando abrimos o vinho, mesmo que o vinho tenha sido produzido para envelhecer 20 anos, você terá que consumi-lo imediatamente. Envelhecimento não é o mesmo que oxidação: quando o vinho é aberto, ele oxida, ou seja, estraga rapidamente. Envelhecer ainda fechado com qualidade é melhorar com a idade, criar outros sabores, outras texturas.

Aqui em Israel existe uma vinícola especializada em vinhos envelhecidos. A vinícola chama Villa Wilhelma e fica no centro do país, em Bnei Atarot. Já os vinhedos estão na região norte do país, na Galileia. Com muita savlanut, a vinícola produz vinhos envelhecidos com dez anos ou mais.

Eu provei esse vinho deles, da uva Chardonnay, que passa 16 meses em barrica de carvalho após a fermentação. Ele é da safra de 2015, ou seja, teve suas uvas colhidas neste ano, mas só em fevereiro de 2018 é que foi engarrafado. Como comprei o vinho em 2020, ele ainda envelheceu mais dois anos na garrafa.

A evolução pode ser constatada pela cor dourada linda dele. Ele tem notas de mel, frutas secas, calda de pêssego e damasco. Parece doce, mas não é. Ele lembra essas frutas a cada gole sem perder a acidez, sem deixar de ser um vinho seco. Isso sim é um belo vinho branco complexo e encorpado – lembrando que não pode estar gelado demais para que seja possível constatar cada nuance de sabor. Maravilhoso!

One thought on “Quanto mais velho, melhor o vinho?

  • 5 de agosto de 2020 em 19:35
    Permalink

    Maravilhoso mesmo, esse vinho! Esses mais envelhecidos que conseguem trazer essa complexidade de sabor sao realmente especiais. Excelente texto!

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *