Rabino-Chefe: Deixem telefones ligados no Shabat

O rabino chefe sefardita Yitzchak Yosef de Israel disse ontem que as pessoas devem estar preparadas para atender seus telefones no Shabat, apesar das restrições gerais da religião judaica que proíbem o uso de eletricidade neste dia, pois as autoridades podem precisar contatá-los com informações que podem salvar vidas.

Essa decisão, que o rabino chamou de “dramática”, baseia-se no princípio da lei judaica de que salvar uma vida – ou “Pikuah Nefesh”, como é expresso em hebraico – excede quase todos os outros mandatos religiosos.

“Se você precisa trabalhar no Shabat, então trabalha no Shabat. Se você precisa comer no Yom Kipur (Dia da Expiação) para proteger a vida, quando há um sério e comprovado perigo de vida, você come no Yom Kipur. Não há nada mais sagrado do que a vida de cada indivíduo”, explicou o rabino Abraham Skorka.

O rabino chefe também pediu que todas as sinagogas localizadas nos hospitais fossem fechadas, dizendo que esses pequenos espaços de oração geralmente não permitem que os fiéis obedeçam à recomendação do Ministério da Saúde de que as pessoas fiquem a pelo menos dois metros de distância um do outro.

A ordem de Yosef surgiu em meio a críticas crescentes à comunidade ultraortodoxa de Israel, já que parte dela desobedece regularmente às diretrizes do Ministério da Saúde que visam conter a disseminação do coronavírus.

O Ministério da Saúde agradeceu a decisão, dizendo que a importância de um rabino chefe intervir no assunto “fala por si só e mostra que uma emergência requer uma ação imediata para impedir que ocorra uma calamidade.”

Yosef diz que esta decisão se aplica não apenas àqueles que sabem que correm o risco de contrair a doença. “Não há dúvida de que qualquer pessoa que tenha sido submetida ao teste do coronavírus deve permanecer com seu telefone celular disponível no Shabat, para que possam ser informados sobre seu status e para onde devem ir. Mas também quem não foi submetido ao teste deve permanecer com um telefone celular disponível, para que, se for descoberto que você estava perto de um paciente confirmado, saiba que precisa se isolar e ser notificado”, escreve ele.

Yosef também pede que se coloquem carros com alto-falantes nos bairros religiosos para informar aos moradores que eles devem ficar em quarentena, se necessário.

Foto: Nir Elias/Reuters

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *