Shekel mais forte de todos os tempos assusta

O Banco de Israel declarou que o shekel está em sua posição mais forte já medida em relação à cesta de moedas dos principais parceiros comerciais do país, informou o Globes nesta quinta-feira.

A taxa representativa do shekel-euro fixada na quinta-feira foi de NIS 3,695 / €, queda de 0,295% em relação ao dia anterior, colocando o shekel em seu nível mais forte em relação ao euro desde 2001. A taxa representativa do shekel-dólar foi fixada com queda de 0,188%, em NIS 3.185 / US$, o nível mais forte do shekel em relação ao dólar em mais de 10 meses.

Se isso é uma boa ou uma má notícia, é claro, depende de onde a pessoa está no mercado. Os exportadores israelenses estremeceram.

Segundo o CEO da Prico Risk Management and Investments, Yossi Fraiman, “esta não é uma boa notícia para os exportadores que trabalham com margens pequenas”. Entre as razões para a força do shekel está a intensa atividade por parte das instituições financeiras, reduzindo sua exposição cambial, resultando em um excedente de oferta de moeda estrangeira.

LEIA TAMBÉM

As empresas israelenses que realizaram ofertas públicas em mercados estrangeiros, juntamente com organismos de investimento estrangeiro que operam no mercado de títulos, também criaram uma grande oferta de moeda estrangeira. Além desses dois fatores significativos, os exportadores que recebem dinheiro para suas exportações precisam de shekels para fazer os próximos pagamentos de salários”.

Fraiman acrescentou: “O fortalecimento do shekel incentiva as importações da Europa e isso é muito problemático. As importações europeias representam 27% das importações israelenses, em comparação com o dólar, que representa 20%. Isso incentiva o comércio com os países europeus, China e Japão. Ao mesmo tempo, a valorização aliviou a pressão de alta sobre os preços e reduziu a inflação de Israel em comparação com o mundo”, disse ele, segundo Globes.

Marian Cohen, presidente da Associação de Fabricantes de High-Tech, identificou a alta tecnologia entre as vítimas do shekel forte: “O shekel em constante fortalecimento em relação ao dólar e ao euro prejudica a indústria de high-tech de Israel. O setor não se baseia apenas em um pequeno número de startups que arrecadam ou são vendidas por quantias astronômicas, mas consiste principalmente em empresas exportadoras que fornecem o sustento, considerando apenas as pessoas diretamente afetadas, para mais de 370.000 famílias em Israel e apoiam a economia do país. A indústria de alta tecnologia responde por mais da metade das exportações de Israel, e os industriais são os primeiros a serem prejudicados pela valorização do shekel”.

Fonte: Hamodia
Foto: pasja1000 (Pixabay)