Redução de asma grave com uso de máscaras

Um estudo conduzido pela professora Nancy Agmon-Levin, chefe da Unidade de Imunologia Clínica, Angioedema e Alergia do Hospital Sheba verificou que “as máscaras bloquearam os agentes infecciosos e definitivamente o pólen”.

O Sheba Medical Center teve uma redução de 65% no número de internações de pacientes com asma grave e uma queda de 45% no número de atendimentos de urgência no pronto-socorro do hospital por pessoas com asma em 2020 em relação a 2019.

Agmon-Levin e sua equipe ouviram relatos de pacientes de que tiveram muito menos alergias este ano em comparação com os anos anteriores.

“Pensamos que isso provavelmente se devia ao uso de máscaras, mas pensamos em como poderíamos provar a hipótese”, explicou ela. “Verificamos os encaminhamentos para o pronto-socorro por asma, dos quais 80% a 90% de todos os pacientes com asma são por alergia”.

LEIA TAMBÉM

Embora tenha havido uma grande diminuição nos encaminhamentos para asma, houve uma redução de apenas cerca de 10% nos encaminhamentos gerais para o pronto-socorro durante o mesmo período.

Da mesma forma, ao olhar para o primeiro trimestre do ano, os níveis de poluição parecem muito semelhantes a todos os outros anos, disse ela.

As alergias afetam 30% da população israelense, segundo o Ministério da Saúde.

Este é o segundo estudo israelense publicado sobre o assunto. Um outro relatório foi lançado no ano passado pelo Galilee Medical Center e pela Bar-Ilan University, publicado no Journal of Allergy and Clinical Immunology e mostrou que 40% dos 215 enfermeiros que usavam máscaras cirúrgicas ou máscaras N95 experimentaram menos espirros e sofreram menos por ter nariz escorrendo ou entupido.

Fonte: The Jerusalem Post
Foto: Pixabay

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *