Saúde teme infecções em tradicional festa estudantil

A chefe dos serviços de saúde pública do Ministério da Saúde, Sharon Alroy-Preis, deu o alarme sobre uma tradicional festa estudantil em Eilat, dizendo que poderia se tornar uma colmeia de infecção por coronavírus que se espalhará por todo o país.

Em uma carta na quarta-feira para outros funcionários do ministério, Alroy-Preis, também pediu uma redução drástica no número de participantes permitidos em qualquer reunião pública, a fim de conter a atual onda de COVID-19.

Seu aviso veio porque milhares de estudantes começaram a convergir para a cidade turística do sul para o evento Funjoya, que começa quinta-feira e vai até sábado à noite. O festival atrai alunos do ensino superior de todo o país e apresenta uma série de grandes eventos.

Com o início das Grandes Festas se aproximando, o governo está determinado a evitar um bloqueio apesar do aumento recente de casos COVID-19.

Em sua carta, Alroy-Preis observou os perigos particulares do evento Funjoya. Os participantes, vão de uma festa para outra e, portanto, o quadro geral deve ser levado em consideração.

“Milhares entram em contato uns com os outros em diferentes festas sem máscaras e sem distanciamento social”, escreveu ela. Como resultado, existe um alto risco de infecção em massa e com ele o perigo de “disseminação significativa da doença por todo o país”.

LEIA TAMBÉM

“Esse perigo é muito alto do ponto de vista da saúde e o Funjoya não pode ser realizado de forma segura”, escreveu ela.

De acordo com as atuais regras contra vírus do Ministério da Saúde, um máximo de 1.000 pessoas são permitidas em eventos internos e até 5.000 em eventos externos, de acordo com as chamadas regras do Passaporte Verde.

No sistema Passaporte Verde, os participantes devem ter uma identificação que mostre que estão vacinados, se recuperaram do COVID-19 ou recentemente testaram negativo para o vírus.

Alroy-Preis pediu que o Ministério da Saúde introduza limites rígidos para eventos com grande participação, permitindo apenas 400 pessoas em eventos fechados e 500 para eventos ao ar livre.

A Funjoyda respondeu em nota dizendo que o evento atende aos requisitos do Ministério da Saúde e obteve todas as autorizações necessárias.

O evento principal da festa foi dividido em uma série de eventos menores em diferentes locais pela cidade de Eilat, “todos cumprindo integralmente as instruções do Ministério da Saúde”.

Os organizadores observaram que a inscrição só será concedida para aqueles que possuem um Passaporte Verde. Também foi montada uma estação de teste rápido de vírus para aqueles que não foram vacinados ou recuperados, permitindo que eles entrem no festival com resultado negativo.

Depois de reduzir o número de casos diários para pouco mais de uma dúzia em meados de junho, Israel viu um ressurgimento de infecções por COVID-19, o que gerou restrições em alguns aspectos da vida pública e reuniões.

Na segunda-feira, Israel registrou o maior número de casos de todos os tempos em um único dia, 11.133.

Fonte: The Times of Israel
Foto: Funjoya (Facebook)

One thought on “Saúde teme infecções em tradicional festa estudantil

Fechado para comentários.