Sete países entram na lista vermelha do Ministério da Saúde

Israel classificou vários países africanos como vermelhos depois que uma nova variante considerada perigosa surgiu na região.

África do Sul, Lesoto, Botswana, Zimbábue, Moçambique, Namíbia e Eswatini foram adicionados à lista de países dos quais estrangeiros estão proibidos de entrar em Israel.

A lista estava vazia há cerca de seis semanas, pois nenhum país atendia aos critérios do Ministério da Saúde.

Os israelenses retornando ao país, incluindo aqueles totalmente vacinados, de qualquer um dos países agora considerados “vermelhos” serão obrigados a se isolar em um hotel administrado pelo governo por uma semana e serão liberados após receberem dois resultados negativos de testes PCR para vírus, disse o primeiro-ministro Naftali Bennett.

Os repatriados que se recusarem a fazer o teste serão obrigados a isolar-se por duas semanas em um desses hotéis de quarentena antes de serem liberados.

LEIA TAMBÉM

Bennett “também instruiu que uma avaliação imediata seja realizada sobre a interrupção dos voos desses países para Israel e vice-versa, ou a implementação de um plano diferente para evitar que a variante se espalhe para Israel”.

Cientistas na África do Sul revelaram, na quinta-feira, que detectaram uma nova variante do COVID-19 com “um número muito alto de mutações”, responsabilizada por um aumento “exponencial” de infecções naquele país.

O número de infecções diárias no país mais afetado da África aumentou dez vezes desde o início do mês.

A variante também é conhecida como B.1.1529.

Fonte: The Times of Israel
Fotos: Canva (montagem)

3 thoughts on “Sete países entram na lista vermelha do Ministério da Saúde

Fechado para comentários.

%d blogueiros gostam disto: