Viúva de magnata é a pessoa mais rica de Israel

Miriam Adelson tornou-se a pessoa mais rica de Israel. A lista da Forbes 2021 coloca a viúva do magnata dos cassinos Sheldon Adelson, que nem estava na lista no ano passado, como a nova bilionária do mundo. No total, existem agora 28 bilionários em Israel.

A lista da Forbes de 2021 e das pessoas mais ricas do mundo, publicada esta semana, mostra um aumento sem precedentes na riqueza entre os magnatas do mundo durante a pandemia do coronavírus.

Miriam Adelson, viúva de Sheldon, que morreu em janeiro, herdou a maior parte da fortuna e saltou para um patrimônio de US$ 38,2 bilhões, tornando-se a israelense mais rica, a quinta mulher mais rica do mundo e a 36ª pessoa mais rica do mundo.

Ela ultrapassou o oligarca russo-israelense Roman Abramovich, o dono do clube de futebol Chelsea que se tornou cidadão israelense há alguns anos e era o israelense mais rico. Abramovich também teve um ano de sucesso, ganhando US$ 4,2 bilhões e alcançando um patrimônio total de US$ 14,5 bilhões.

LEIA TAMBÉM

Os próximos israelenses na lista são o magnata franco-israelense das telecomunicações Patrick Drahi, com US$ 11,8 bilhões, e o empresário do setor bancário, imobiliário e marítimo Eyal Ofer, com US$ 11,1 bilhões. Ambos também tiveram um salto em seu patrimônio. O próximo é o industrial Stef Wertheimer, cujo patrimônio de US$ 6,2 bilhões é semelhante ao do ano passado.

Globalmente, nada menos que 660 novos bilionários foram adicionados à lista desde 2020, apesar – ou talvez por causa – da severa crise financeira, bloqueios e mudanças que assolaram o mundo, de acordo com a Forbes, que mantém a lista desde 1986.

Existem agora 2.755 bilionários no mundo, que somam US$ 13,1 trilhões – significativamente mais do que os US$ 8 trilhões do ano passado.

O número de pessoas que se tornaram bilionárias pela primeira vez é um recorde de 493 – quase um novo bilionário a cada 17 horas. Entre eles estão 210 da China e Hong Kong e 98 dos EUA.

O CEO da Amazon, Jeff Bezos, é a pessoa mais rica do mundo pelo quarto ano consecutivo, com um patrimônio de US$ 177 bilhões, US$ 64 bilhões a mais que um ano atrás, como resultado do aumento das ações da Amazon, segundo a Forbes.

Fonte: The Times of Israel

Foto: Union20 (Wikimedia Comons)