A mobilidade para vacinar docentes e alunos

Segundo o Ministério da educação, cerca de 40% dos alunos do 11º e 12º ano já foram vacinados contra o vírus corona. Além disso, cerca de 76% do pessoal da educação tem direito ao “passaporte verde”, ou seja, recebeu as duas doses da vacina.

Com isso, o ministro da Educação Yoav Galant vai defender o cancelamento das cápsulas e a extensão do horário semanal nas escolas.

Como parte do movimento para aumentar o número de vacinados, veículos especialmente preparados começaram a chegar hoje (domingo) a instituições de ensino de todo o país para incentivar professores, educadores e alunos maiores de 16 anos que ainda não foram vacinados a se vacinarem contra o vírus do corona.

Esta medida é uma iniciativa conjunta do Ministério da Educação e do Ministério da Saúde, em coordenação com as autoridades locais, com o objetivo de aumentar o número de vacinados entre o pessoal da educação e os alunos com 16 anos ou mais. O objetivo é reduzir o índice de morbidade no país e manter uma rotina de estudos contínua e segura.

LEIA TAMBÉM

Para a realização da vacinação, serão alocadas salas separadas ou salas exclusivas nas escolas, e as filas para recebimento da vacina serão determinadas de acordo com o número de vacinados, e divididas em cápsulas de acordo com as orientações.

A condição para administrar as vacinas a alunos menores de 18 anos é o consentimento dos pais. Segundo as diretrizes, mesmo que os pais tenham dado consentimento, se o aluno se recusar a ser vacinado, ele não o será.

One thought on “A mobilidade para vacinar docentes e alunos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *