Abrir ou prorrogar o lockdown? A decisão é hoje

De acordo com o plano original, o lockdown deve terminar na noite da próxima segunda-feira, mas devido ao número de pacientes graves nos hospitais, o sistema de saúde está recomendando que o governo prorrogue o fechamento por mais uma semana (até 7 de fevereiro).

Em uma discussão na noite passada (segunda-feira), com a participação do Primeiro-Ministro, Benjamin Netanyahu, o coordenador do gabinete do coronavírus, Prof. Nachman Ash, propôs duas alternativas: estender o fechamento por mais uma semana e depois uma ampla abertura da economia e do sistema educacional, ou uma abertura limitada começando na semana que vem.

O Ministério da Saúde acredita que demorará mais uma semana para atingir os níveis de morbidade que permitirão a saída da quarentena e o início do retorno à rotina.

O primeiro-ministro Netanyahu convocou uma discussão com a participação do ministro da Saúde Yuli Edelstein, o chefe do Conselho de Segurança Nacional, o diretor-geral do Ministério da Saúde, o chefe do gabinete Corona e outros funcionários. A reunião tratou da análise das tendências de morbidade, da taxa de imunização, do efeito das mutações no estado da doença, das datas de quarentena e outras questões.

LEIA TAMBÉM

As partes ainda não chegaram a um acordo e as discussões continuarão hoje.

A Dra. Sharon Elrai-Price, chefe de Saúde Pública, observou que os dados não estão caindo como esperado e atualmente não é possível abrir a economia.

Por sua vez, o ministro das Finanças, Israel Katz, deixou claro que deseja abrir totalmente o comércio na próxima segunda-feira e que não pretende avançar o programa de subsídios a menos que o comércio abra na próxima semana.

Na opinião do Ministro da Educação, o sistema educacional deve abrir na próxima semana.

Segundo o responsável pelo gabinete do coronavírus,  a decisão a ser tomada deve levar em conta que a população já está cansada dos constantes bloqueios e talvez não colabore com uma prorrogação do fechamento.