Apesar do repasse, hospitais continuam limitando atendimento

Apesar do repasse de recursos, administradores de hospitais públicos planejam continuar o atendimento em um “formato de Shabat”, isto é, só aceitam casos de emergência.

Depois que sete hospitais públicos mudaram para o “formato de Shabat” devido à falta de orçamento, o Ministério das Finanças instruiu o Contador Geral, Yahli Rotenberg a transferir imediatamente NIS 100 milhões para eles.

O adiantamento da transferência foi decidido em uma reunião realizada, ontem, entre o diretor-geral do Ministério da Fazenda, Ram Blinkov, o Ministro da Saúde, Nitzan Horowitz, e o diretor-geral de seu ministério, Prof. Nachman Ash.

A complementação do repasse dos fundos será conforme o andamento dos cronogramas. O Ministério da Fazenda afirmou que “essa transferência permitirá que os hospitais públicos voltem às operações de rotina normais e concentrem seus esforços no enfrentamento da crise corona”.

Mesmo assim, a crise não parece estar resolvida. Diretores de hospitais públicos disseram que, apesar disso, o trabalho de emergência continuaria indefinidamente até que um acordo total seja alcançado

“O método de gotejamento do Ministério das Finanças visa matar os hospitais de fome. É vergonhoso para o sistema de saúde no auge da crise do Corona. Sem um orçamento definido e claro, é impossível comprar equipamentos, recrutar médicos e enfermeiras, ou administrar um hospital”, acrescentaram. “Esta é uma omissão grave do Ministério da Saúde que atrasa a determinação dos critérios e prejudica o funcionamento dos hospitais”.

LEIA TAMBÉM

Os diretores dos hospitais disseram que “os responsáveis do Ministério da Fazenda e da Saúde querem nos sufocar e não permitir que nos desenvolvamos e nos planejemos para o próximo ano”.

No início desta semana, sete diretores de hospitais públicos do país anunciaram que não aceitariam mais pacientes Corona nas enfermarias e passariam para o “formato de Shabat”.

Os sete centros médicos que operam no formato limitado são Shaare Zedek e Hadassah Ein Kerem em Jerusalém, Laniado em Netanya, Maayan Hayeshua em Bnei Brak e os três hospitais em Nazaré.

Equipes médicas e funcionários estão protestando contra um atraso no orçamento de mais de NIS 600 milhões. Como parte da redução da atividade, as ambulâncias do MDA não entrarão nos portões dos hospitais, exceto em casos de salvamento, e não serão realizadas cirurgias não urgentes, mesmo as programadas para os próximos dias.

Fontes: Kipa e Maariv
Foto: PxHere

2 thoughts on “Apesar do repasse, hospitais continuam limitando atendimento

Fechado para comentários.