Aumenta o receio de variante indiana em Israel

O Ministério da Saúde emitiu um anúncio informando sobre a presença de um paciente positivo para coronavírus que compareceu a uma apresentação no salão Qimron em Beit Shean, na última quinta-feira, entre sete e meia e nove horas da noite.

O caso identificado em Beit Shean é de uma mulher que viajou recentemente para Dubai, onde contraiu a infecção e depois a transferiu para sua família em Israel. Aumentam os receios de uma mutação indiana parcialmente resistente à vacina.

O Ministério da Saúde, em uma medida excepcional, ordenou que todos os presentes ao evento entrem em quarentena domiciliar e também façam o exame do coronavírus na primeira oportunidade, independentemente de terem sido vacinados contra o coronavírus ou não.

Aqueles que devem entrar em quarentena devem permanecer em casa por pelo menos 14 dias ou, por pelo menos 10 dias se a pessoa tiver testado duas vezes negativo para Covid-19, uma vez ao entrar em quarentena e novamente no nono dia.

LEIA TAMBÉM

Paralelo a esse desenvolvimento está a notícia de um surto do que se teme ser a variante indiana do Covid-19 em uma escola em Binyamina. A escola foi fechada e os alunos e professores estão em fase de testes.

A chamada mutação indiana é conhecida por ser parcialmente resistente às vacinas contra o coronavírus atualmente em uso. De acordo com a Reuters , os anticorpos no sangue de pessoas que receberam ambas as doses da vacina Pfizer foram encontrados entre três e seis vezes menos potentes contra a mutação indiana do que contra outras variantes comuns, incluindo a mutação “sul-africana”, de acordo com a um relatório publicado no site bioRxiv.

Fonte: Arutz Sheva

One thought on “Aumenta o receio de variante indiana em Israel

Fechado para comentários.