Ben Gvir contribui para a violência, diz a polícia

O deputado de extrema-direita, Itamar Ben Gvir, desmaiou durante um confronto com policiais na noite de domingo, depois de prometer passar a noite no bairro de Sheikh Jarrah em Jerusalém Oriental.

Ben Gvir, membro do partido Sionismo Religioso, montou um escritório improvisado – uma mesa sob um toldo – após o bombardeio de uma casa judaica no bairro durante o fim de semana.

“Eu planejava sair e voltar. Mas eu não vou aceitar as ações da polícia. Vou ficar aqui esta noite. Eles vão aprender”, disse Ben Gvir, depois que a polícia tentou desmantelar o escritório improvisado que ele abriu no local no início do dia, e os confrontos na área continuaram noite adentro.

Ben Gvir desmaiou durante uma briga com policiais e foi levado para o Hospital Hadassah.

As autoridades teriam abordado Ben Gvir para chegar a um acordo que incluísse o desmantelamento do escritório. Ben Gvir estaria exigindo que forças de segurança permanentes fiquem estacionadas na casa de Tal Yushuvayev após o bombardeio, e que mais câmeras de segurança sejam implantadas na área, em troca de sua saída.

“A polícia cruzou todas as linhas possíveis esta noite”, tuitou Ben Gvir antes da briga em que ele perdeu a consciência. “Enquanto nossos representantes se sentaram com o comandante distrital para trazer segurança policial permanente, dezenas de policiais vêm, usam violência severa contra ativistas de direita e contra mim, e tentam destruir o escritório parlamentar. Nós não planejamos isso, mas vamos ficar e dormir aqui esta noite”.

LEIA TAMBÉM

Um vídeo mostrou Ben Gvir caindo no chão e aparentemente desmaiado enquanto tentava passar por um grupo de policiais.

No sábado, confrontos violentos eclodiram na área entre ativistas de direita e palestinos e continuaram durante todo o domingo. Um policial não identificado disse ao Canal 12 que Ben Gvir fez uma “contribuição substancial” para a escalada da violência.

Enquanto isso, o Hamas alertou para uma resposta “severa” caso Israel continue seus “ataques” em Jerusalém Oriental, disse um porta-voz do grupo terrorista.

“Pedimos ao nosso povo que apoie o povo de Jerusalém entrando em conflito com a ocupação em pontos de atrito”, disse Mohammad Hamadeh à televisão oficial do Hamas, possivelmente referindo-se a locais na Cisjordânia onde os palestinos frequentemente entram em confronto com as tropas israelenses.

Uma escalada semelhante no bairro de Sheikh Jarrah em maio passado, igualmente encorajada por Ben Gvir ao estabelecer um “escritório” no bairro, contribuiu para a escalada que desencadeou uma guerra de 11 dias entre Israel e Hamas e longos dias de violência entre árabes e judeus em todo o país.

Fonte: The Times of Israel
Foto: Otzma Yehudit (Cortesia)