Berlim retira cidadania de presidente que nomeou Hitler

Paul von Hindenburg não é mais cidadão honorário berlinense. Em 1933, o então presidente alemão e ex-marechal nomeou Adolf Hitler como chanceler do Império, atribuindo-lhe poderes que levaram a 12 anos de ditadura nazista.

Atendendo a uma decisão do Senado da capital alemã, o prefeito de Berlim, Michael Müller, ordenou oficialmente a exclusão do nome de Paul von Hindenburg da lista de cidadãos honorários berlinenses.

Paul von Hindenburg (1847-1934) foi marechal do Império Alemão e presidente do país durante a República de Weimar. Em 30 de janeiro último, o parlamento local decidiu revogar sua cidadania honorária, sob a justificativa de ele ter nomeado Adolf Hitler para o cargo de chefe de governo alemão em 30 de janeiro de 1933.

Depois disso, Hindenburg assinou decretos de emergência e leis que tiraram poderes do Reichstag, o então Parlamento alemão, proporcionando aos nazistas novos instrumentos de poder.

Hindenburg havia se tornado cidadão honorário de Berlim em 20 de abril de 1933, mesmo dia em que Hitler fazia aniversário e também recebeu esse título. A cidadania honorária do ditador nazista foi retirada em dezembro de 1948.

Nos últimos anos, várias cidades alemãs revogaram a cidadania honorária que haviam outorgado a Hindenburg, entre elas Dortmund, Kiel, Colônia, Leipzig, Munique e Stuttgart.

Durante as deliberações em Berlim, a política do partido “A Esquerda” Regina Kittler declarou: “Hindenburg foi um criminoso”, dizendo que o ex-marechal de campo da Primeira Guerra Mundial contribuiu para a destruição da democracia na Alemanha. “Os tempos em que vivemos exigem uma defesa da democracia”, disse Kittler.

Já o conservador Robbin Juhnke, do partido de Angela Merkel, rejeitou a exclusão do nome de Hindenburg da lista por refletir uma perspectiva “anti-histórica”.

Juhnke enfatizou que Hindenburg foi eleito duas vezes pelos alemães como presidente na época da República de Weimar: a figura do ex-marechal de campo podia ser historicamente controversa, mas que seria um erro privá-lo da cidadania honorária.

Na Alemanha, algumas ruas e praças com o nome de Hindenburg também foram renomeadas, mas outros locais permanecem associados a seu nome.