Brasil 0 x Israel 1000

Por Simone Wenkert Rothstein

Nesta conversa Simone & Tal falam sobre a tendência do ser humano a negar determinadas situações para não terem que lidar com sentimentos desconfortáveis.

Simone – Oi Tal! E aí, o que você me conta?

Tal – Simone, há dias venho pensando: Parece que as pessoas têm audição seletiva, visão seletiva ou que não escutam noticiário. Encontrei com uns amigos e eles malharam tanto o Brasil, que nem o brigadeiro, nosso patrimônio culinário, se salvou (risos), por outro lado, só tinham elogios pra Israel. Até parecia um país perfeito. Eles vivem no paraíso?

Simone – Paraíso e Inferno. Lembra placar de jogo de futebol: Brasil 0 x Israel 1000!

Nós, seres humanos somos muito interessantes, tendemos a fechar os olhos, a negar o que não queremos ver e o que não queremos sentir. A negação nos ajuda a lidar com o medo de ficar querendo, com a saudade, com a dúvida…

Tal – (interrompendo) Como assim?

Simone – Já comentamos sobre como é difícil se mudar e criar raízes num novo lugar. São tantas as inseguranças … Uma forma de lidar com elas pode ser essa, a de negar as coisas ruins, enxergando única e exclusivamente as coisas boas e assim, evitando lidar com as nossas ambivalências.

Como no término de um namoro. Já aconteceu com você de, depois de terminar um namoro, ficar lembrando de todos os problemas, de tudo de difícil e de ruim que o namorado tinha?

Tal – Com certeza!

Simone – Quer dizer, você quis terminar e depois, ainda ficou nutrindo uma lista gigantesca de problemas, talvez pra se ajudar a se separar do teu ex-namorado, mesmo tendo sido você quem terminou.

Tal – Acho que eu precisava ter certeza de que dei o passo certo. Quer dizer, nem pensar em mudar de ideia, em querer voltar…

Simone – Você devia ter suas razões pra querer terminar. A relação não devia estar boa, ele tinha lá seus defeitos. Mas é claro que você não é perfeita e que vocês também tiveram ótimos momentos juntos. Só que lembrar das coisas boas, neste momento, gera incerteza, ambivalência, medo de querer voltar e não ter mais essa opção…

Tal – Quer dizer, se lembro das coisas boas do namorado que não tenho mais, posso ficar com saudades, tenho que lidar com as perdas e ainda, “cai a ficha” de que o próximo namorado também não será perfeito. Faço força para não lembrar das coisas boas que ele tinha e, meus amigos fazem força pra não lembrar das coisas boas do Brasil, nem das coisas não tão boas que tem em Israel.

Simone – É… é fato que todo lugar, como todo namorado, pode ser encantador, mas nunca é perfeito.

Tal – Tive uma ideia que pode ser bem interessante.

Simone – Qual?

Tal – Vou fazer a minha lista do que gosto e do que não gosto daqui e do Brasil e, vou sugerir aos meus amigos que façam as listas deles também. Depois, a gente vê quais são os prós e contras mais comuns entre nós. Acho que vai ser divertido.

Simone – E acho que você não vai ser a única a continuar gostando de brigadeiro. Será?

Foto: pikist.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *