Campanha da Adidas vira palco de preconceito

Uma recente ação da Adidas em parceria com o time de futebol londrino,Arsenal acabou se tornando uma “oportunidade” para os preconceituosos de plantão.

A iniciativa, parte da campanha “Dare to Create”, que permitia que os usuários do Twitter personalizassem camisetas virtuais do Arsenal com seus nomes, podendo compartilhá-las posteriormente. Mas, no que é chamado “sequestro de campanha”, alguns usuários criaram camisetas com mensagens racistas e antissemitas.

As mensagens usavam termos como “InnocentHitler” ,“Gás para todos os judeus“ e até frases desejando a morte de todos os negros.

Assim que percebeu o problema, a Adidas tirou a função do ar. Um porta-voz da marca explicou à imprensa que o número dessas casos absurdos foi pequeno, mas a empresa optou por desligar a ferramenta: “Como parte do nosso lançamento em parceria com o Arsenal, fomos informados do abuso de um mecanismo de personalização do Twitter criado para permitir que fãs colocassem seu nome na parte de trás da nova camisa. Devido a uma pequena minoria que criou versões ofensivas disso, desativamos imediatamente a funcionalidade e a equipe do Twitter estará investigando”.

O Twitter também confirmou que está investigando o caso, enquanto um porta-voz do Arsenal disse que o time condena “totalmente o uso de linguagem dessa natureza, que não tem lugar em nosso jogo ou na sociedade”.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *