Cerca de 2.500 médicos residentes pedem demissão

Mais de 2.500 médicos residentes cumpriram a ameaça de demitir-se de seus empregos na quinta-feira devido à falta de acordo pelo fim do turno de 26 horas.

Os 2.590 médicos em treinamento endossaram uma carta que foi entregue na sede da Região de Saúde de Tel Aviv pelo Dr. Ray Bitton, chefe da organização Mirsham de médicos residentes.

Embora as demissões não tenham validade nas próximas duas semanas, a medida causou alarme dentro do sistema médico, já que uma saída em massa desse tipo teria um impacto devastador no atendimento hospitalar em todo o país.

“Para meu pesar, estamos reunidos aqui para um dia muito triste que se abateu sobre Israel, no qual somos dolorosamente forçados a tomar uma medida drástica e apresentar as cartas de demissão de mais de 2.500 estagiários”, disse Bitton fora do escritório.

A carta, dirigida ao Ministro da Saúde Nitzan Horowitz, afirmava que eles foram levados a tomar uma medida tão drástica porque os pacientes merecem ser tratados por médicos “que não estão exaustos, cansados, desfocados e sem empatia devido a condições desumanas”.

LEIA TAMBÉM

As demissões ocorreram um dia depois que os internos rejeitaram uma contraproposta do governo de reduzir gradualmente os turnos para 18 horas até 2026, mas apenas em 10 hospitais em áreas periféricas. Os estagiários disseram que apenas 10 por cento de seu número se beneficiariam inicialmente com essa decisão, e não era suficiente.

Horowitz e a ministra da Economia, Orna Barbivai, admitiram na véspera que estão limitados, entre outras coisas, pela falta de pessoal médico e que levaria tempo para atender plenamente às suas demandas, mas insistiram que isso seria um começo significativo.

“O plano não é perfeito”, disse Barbivai. “Mas o mais importante neste programa é um avanço que marca uma meta baseada em valores do que esperamos da futura geração de médicos no que diz respeito às relações de trabalho, e as horas de trabalho são apenas parte da história”.

Fonte: Hamodia
Foto: Miriam Alster (Flash90)

One thought on “Cerca de 2.500 médicos residentes pedem demissão

Fechado para comentários.