Cessar-fogo entra em vigor

Israel e Hamas concordaram com um cessar-fogo “mútuo e simultâneo” nesta quinta-feira, interrompendo uma guerra de 11 dias que causou destruição e morte de ambos os lados.

Às 2 da manhã, desta sexta-feira, o cessar-fogo entrou em vigor.

Como nas guerras anteriores, o conflito terminou de forma inconclusiva. Israel afirmou ter causado ​​danos significativos ao Hamas, mas mais uma vez foi incapaz de deter os ataques ininterruptos de foguetes do grupo terrorista islâmico.

Assim que foi anunciado o cessar-fogo, o primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu enfrentou acusações raivosas de sua base de direita de linha dura de que ele interrompeu a operação muito cedo.

O gabinete de Netanyahu disse que seu Gabinete de Segurança havia aceitado por unanimidade a proposta egípcia de cessar-fogo, após recomendações do chefe militar de Israel e outros oficiais de segurança de alto escalão, que declararam ter conseguido “conquistas significativas na operação, algumas das quais sem precedentes”.

Além do Egito, países da região, como a Jordânia e o Qatar, desempenharam papel importante no cessar-fogo, já que têm interlocução com o Hamas.

O Hamas e outros grupos terroristas dispararam mais de 4.000 foguetes contra Israel durante o conflito, lançando os projéteis em áreas civis de cidades israelenses. Milhares de projéteis  atingiram fortemente cidades do Sul, como Ashdod, Ashkelon, Beer Sheva e Siderot até Tel Aviv, a movimentada capital comercial e cultural do país.

LEIA TAMBÉM

Enquanto isso, Israel realizou centenas de ataques aéreos visando o que disse ser a infraestrutura militar do Hamas, incluindo uma vasta rede de túneis.

Os Estados Unidos, o aliado mais próximo e importante de Israel, inicialmente apoiaram o que consideraram o direito de Israel à autodefesa contra o lançamento de mísseis. Mas, à medida que a luta se arrastava e o número de mortos aumentava, os americanos pressionavam cada vez mais Israel a parar a ofensiva.

Em uma rara cisão pública, Netanyahu, na quarta-feira, rejeitou brevemente um apelo público do presidente Joe Biden para aceitar um cessar-fogo, parecendo determinado a infligir o máximo de dano ao Hamas.

Em Washington, Biden saudou o cessar-fogo. Biden disse que os EUA estão empenhados em ajudar Israel a repor seu suprimento de mísseis interceptores para seu sistema de defesa com foguetes Iron Dome e em trabalhar com a Autoridade Palestina reconhecida internacionalmente, não o Hamas, para fornecer ajuda humanitária a Gaza.

Netanyahu foi criticado por membros de sua base nacionalista. Gideon Saar, do partido Nova Esperança, chamou o cessar-fogo de “constrangedor”.

Itamar Ben Gvir, chefe do partido de extrema direita Poder Judaico, tuitou que o cessar-fogo foi “uma grave rendição ao terrorismo e aos ditames do Hamas”.

O cessar-fogo chega em um momento delicado para Netanyahu. Na esteira de uma eleição inconclusiva em março, Netanyahu não conseguiu formar uma coalizão majoritária no parlamento. Seus oponentes agora têm até 2 de junho para formar um governo alternativo próprio.

Enquanto isso, em Gaza, um porta-voz do Hamas, Abdelatif al-Qanou, disse que o anúncio de Israel foi uma “declaração de derrota”.

Ali Barakeh, um oficial da Jihad Islâmica, um grupo menor que lutou ao lado do Hamas, disse que a declaração de trégua de Israel foi uma derrota para Netanyahu e “uma vitória para o povo palestino”.

Fonte: AP
Foto MaxPixel ( https://www.maxpixel.net/Middle-Center-Focal-Point-Visor-Crosshair-97971 – CC0 Public Domain)

One thought on “Cessar-fogo entra em vigor

Fechado para comentários.