Gabinete aprova novas cidades em resposta ao terror

O governo do primeiro-ministro Naftali Bennett aprovará a criação de dez novas cidades no Negev em resposta ao ataque terrorista de terça-feira em Beer Sheva, no qual um terrorista assassinou quatro pessoas.

Cinco novas cidades serão criadas perto de Arad, além da comunidade haredi (ultraortodoxa) de Kassif que foi autorizada na semana passada. Além disso, mais cinco serão criadas na estrada entre Beer Sheva e Dimona.

“Esta decisão histórica e emocionante tem importância estratégica e nacional no fortalecimento do assentamento do Negev”, disse a ministra do Interior Ayelet Shaked. “Criar dez novas comunidades é o sionismo em toda a sua glória”.

O ministro da Construção Ze’ev Elkin disse que as novas habitações aumentariam a segurança e fortaleceriam a economia da região e encorajariam os israelenses a se mudarem para o Negev a partir do centro do país.

Uma intensa discussão eclodiu no Comitê do Interior do Knesset nesta quarta-feira, um dia após o ataque terrorista.

LEIA TAMBÉM

O deputado Itamar Ben-Gvir, do Partido Religioso Sionista, que visitou o local do ataque, interrompeu uma reunião do comitê, que é presidido pelo deputado Waleed Taha, do partido árabe Ra’am. Ben-Gvir disse que Taha pertencia à Síria porque se encontrou com líderes do Hamas e assassinos condenados.

“O sangue dos moradores do Negev está em suas mãos”, disse Ben-Gvir a Taha. “Você incitou o Negev contra Israel. Você não tem legitimidade, e não vou ficar calado sobre isso”.

Ben-Gvir foi expulso da reunião. Sentou-se no chão e tentou impedir que os seguranças o retirassem.

Fonte: The Jerusalem Post
Foto (ilustrativa): ניר ודל, CC BY-SA 4.0 (Wikimedia Commons). Harish