Gantz: palestinos terão uma “entidade”, não um estado

O ministro da Defesa, Benny Gantz, disse na Conferência de Segurança de Munique, no domingo, que prevê uma solução de “duas entidades” para o conflito no Oriente Médio, mas não a solução de dois Estados apoiada pela comunidade internacional.

“Eventualmente, encontraremos em uma solução de duas entidades, na qual respeitamos a soberania e a governança palestinas, mas ainda assim seremos respeitados por nossas necessidades de segurança”, disse Gantz.

O moderador da discussão na conferência, Souad Mekhennet,  perguntou a ele: “Você disse que uma solução de dois estados é possível?”. Mekhennet pressionou Gantz em sua escolha de palavras, “entidades” e não “estados”, dado que o discurso normativo internacional sobre uma resolução para o conflito geralmente é de dois estados. Isso envolveria a criação de um estado palestino, ao lado do já existente israelense.

Gantz corrigiu o moderador, explicando que ele havia escolhido falar de duas entidades e não de dois estados, para ressaltar sua rejeição a um estado israelense que voltasse às linhas pré-1967.

Falar de uma “solução de dois estados nos leva a uma estrutura anterior. É uma frase que dá a ilusão de um retorno a 1967 com as linhas de fronteira, etc., coisas que não podem acontecer.

“É por isso que eu disse solução de duas entidades. Nós verificaríamos uns com os outros como podemos garantir os direitos palestinos por um lado enquanto protegemos as necessidades de segurança de Israel por outro”, disse Gantz.

LEIA TAMBÉM

Somente quando a questão da soberania palestina e da segurança israelense for resolvida, é possível avançar para uma resolução final do conflito, disse Gantz.

“Não podemos ignorar a existência dos palestinos e os palestinos não podem ignorar a existência de nós israelenses na área e devemos encontrar maneiras de viver uns com os outros”, disse Gantz.

“Ambos os lados devem tomar decisões históricas”, enfatizou.

“Espero que um dia possamos criar uma nova realidade para levar em conta as realidades no terreno em consideração”, disse ele.

Gantz lembrou que se encontrou duas vezes com o presidente da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas, porque “devemos manter uma conexão estratégica. Devemos manter a segurança. Estou certo de que devemos promover a economia [palestina]. Lenta, mas seguramente, vamos nos separar e criar uma referência melhor para discussões futuras sobre como seria um acordo permanente”, disse ele.

As opiniões de Gantz, que lidera o Partido Azul e Branco, não refletem a posição geral do governo, que tem uma ampla gama de opiniões sobre o conflito israelense-palestino. O partido Meretz falou de uma resolução de dois Estados para o conflito, enquanto o primeiro-ministro Naftali Bennett, que lidera o partido de direita Yamina, não acredita em conversar com autoridades palestinas neste momento. Gantz, no entanto, defende fortemente a negociação com os palestinos.

Fontes: The Jerusalem Post e Hamodia
Foto: Munich Security Conference

One thought on “Gantz: palestinos terão uma “entidade”, não um estado

Fechado para comentários.