Israel e Sudão próximos de um acordo de paz

O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores do Sudão, Haidar Badawi al-Sadiq, disse à Sky News Arabia que o Sudão espera um acordo de paz com Israel. Tanto Israel quanto o Sudão se beneficiariam de tal acordo, acrescentou.

Segundo Sadiq “a atitude dos Emirados é um passo corajoso e ousado e contribui para colocar o mundo árabe no caminho certo para construir a paz na região e construir uma paz sustentável”.

No entanto, o chanceler sudanês, Omar Kamaruddin Ismail, enviou uma mensagem subsequente de que ficou “surpreso” com as declarações de Sadiq, que ele não estava autorizado a fazer, e que o ministério não havia discutido as relações com Israel.

“O Ministério das Relações Exteriores da República do Sudão confirma que a questão das relações com Israel não foi discutida no Ministério das Relações Exteriores de forma alguma, e o Embaixador Haydar Badawi (Sadiq) não foi designado para fazer qualquer declaração a esse respeito”, acrescentou o comunicado.

LEIA TAMBÉM

O primeiro-ministro Benjamin Netanyahu respondeu imediatamente à declaração de Sadiq, dizendo: “Israel, o Sudão e toda a região se beneficiarão com o acordo de paz e juntos podem construir um futuro melhor para todos os povos da região. Faremos todo o necessário para tornar essa visão uma realidade.”

Netanyahu elogiou a corajosa decisão de promover a paz entre Israel e o Sudão feita pelo Tenente-General Abdel Fatah Abdeirahman al-Burhan, que preside o Conselho de Soberania Sudanesa.

Os dois líderes se encontraram em Uganda em fevereiro deste ano, anunciando um movimento em direção à normalização, mas voos foram autorizados a sobrevoar o Sudão, reduzindo o tempo de voo para a América do Sul.

O ministro das Relações Exteriores, Gabi Ashkenazi, também respondeu, acrescentando que a disposição do Sudão de fazer a paz com Israel tem um enorme significado simbólico. Ele fez referência ao famoso Encontro da Liga Árabe na capital do Sudão, Cartum, após a Guerra dos Seis Dias.

O primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu também se comprometeu a “fazer tudo o que for necessário” para concluir um acordo de paz com a nação árabe de maioria muçulmana na costa africana.

O Sudão sediou a histórica conferência árabe após a guerra do Oriente Médio de 1967, onde oito países árabes aprovaram os “três nãos: não a paz com Israel, não ao reconhecimento de Israel e não às negociações.

Em 1993, os EUA definiram o Sudão como patrocinador do terrorismo por seu apoio a uma série de grupos terroristas islâmicos anti-Israel, incluindo o Hamas e o Hezbollah.

Nos últimos anos, essas hostilidades diminuíram, e ambos os países expressaram disposição para normalizar as relações.

One thought on “Israel e Sudão próximos de um acordo de paz

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *