Sudão despede porta-voz que confirmou negociações com Israel

O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores do Sudão foi demitido na quarta-feira, um dia depois de ter gerado um incidente diplomático ao revelar publicamente as negociações de normalização das relações com Israel, aparentemente sem autorização.

Haidar Badawi Sadiq disse à Sky News Arabia na terça-feira que o Sudão estava interessado em estabelecer laços com Israel e previu que um tratado entre Jerusalém e Cartum poderia ser assinado até o final do ano ou no início de 2021. Os comentários vieram horas depois de ele publicar um comunicado no qual ele exortou a liderança militar-civil do país a falar abertamente sobre as negociações em andamento.

Seus comentários, que vieram em meio a especulações de que outros países podem em breve se juntar aos Emirados Árabes Unidos para estabelecer acordos com Israel, foram rapidamente repelidos pelo ministro das Relações Exteriores do país, Omar Qamar al-Din Ismail, que disse estar “surpreso” com o anúncio.

“A questão das relações com Israel não foi discutida no Ministério das Relações Exteriores. Ninguém encarregou Haidar Badawi Sadiq de fazer declarações sobre este assunto”, disse Ismail.

Sadiq disse mais tarde que havia confirmado as negociações com Israel porque nenhum alto funcionário do governo se preocupou em negar uma previsão do ministro da Inteligência israelense, Eli Cohen, de que os laços com o Sudão podem ser estabelecidos nos próximos meses.

Cohen insistiu na quarta-feira que as negociações de paz entre Jerusalém e Cartum estavam em andamento. Ele alegou que eles incluíram uma cláusula para o retorno de requerentes de asilo sudaneses atualmente no país.

Esta não é a primeira vez que os contatos sudaneses com Israel se foram envolvidos em polêmica, destacando as divisões entre os líderes militares e civis de Cartum. Em fevereiro, o líder de transição sudanês, tenente-general Abdel Fattah al-Burhan, se reuniu com o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu em Uganda, uma reunião rapidamente rejeitada pelo primeiro-ministro do país, Abdalla Hamdok. Na época, um alto funcionário israelense disse ao The Times of Israel que os dois concordaram em normalizar gradualmente as relações entre as duas nações, que continuam tecnicamente em guerra.

Autoridades israelenses há muito expressam o desejo de melhorar os laços com Cartum, citando sua importância na região, bem como sua localização geográfica.

Uma autoridade do governo sudanês disse à Associated Press na terça-feira que as deliberações entre autoridades sudanesas e israelenses já duram meses, com a ajuda do Egito, dos Emirados Árabes Unidos e dos Estados Unidos.

“É uma questão de tempo. Estamos finalizando tudo. A ação dos Emirados nos encorajou e ajudou a acalmar algumas vozes dentro do governo que temiam uma reação do público sudanês”, disse ele, falando sob condição de anonimato porque não estava autorizado a informar a mídia.

Os EUA anunciaram na quinta-feira que Israel e os Emirados Árabes Unidos concordaram em normalizar os laços, solidificando uma relação secreta de longa data, e as autoridades previram que os laços com Bahrein, Omã, Sudão e outros países podem se seguir.

Fonte: Times of Israel

Foto: Captura de tela do YouTube (via Times of Israel)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *