“Israel é uma nação soberana orgulhosa”, diz Lapid na ONU

A declaração do primeiro-ministro israelense, Yair Lapid, na Assembleia Geral da ONU, na tarde de quinta-feira, sobre um futuro Estado palestino e sua afirmação de uma resolução de dois Estados para o conflito, marcaram a linguagem mais forte que um primeiro-ministro israelense usou em relação à soberania palestina desde os dias do primeiro-ministro Ehud Olmert.

É a primeira vez, desde 2016, que um líder israelense fala da solução de dois Estados ao se dirigir à AGNU.

“O futuro Estado palestino que existirá próximo a Israel deve ser pacífico e não baseado no terror. Se essa condição for atendida, então o melhor caminho a seguir é um acordo com os palestinos baseado em dois estados para dois povos”, disse Lapid.

Isso “é a coisa certa para a segurança de Israel, para a economia de Israel e para o futuro de nossos filhos”.

“Apesar de todos os obstáculos, ainda hoje a maioria dos israelenses apoia a visão dessa solução de dois Estados. Eu sou um deles”, disse Lapid.

“Temos apenas uma condição: que um futuro Estado palestino seja pacífico, que não se torne outra base terrorista para ameaçar o bem-estar e a própria existência de Israel. A paz não é um compromisso. É a decisão mais corajosa que podemos tomar. Paz não é fraqueza. Ele incorpora dentro de si todo o poder do espírito humano”, disse ele.

LEIA TAMBÉM

Lapid chegou a Nova York na manhã de terça-feira para se juntar aos líderes mundiais reunidos para as sessões de abertura de alto nível da 77ª AGNU. Ele chegou em um momento em que os esforços do presidente dos EUA, Joe Biden, para reviver o acordo de 2015 com o Irã parecem ter parado. Em suas reuniões com líderes mundiais e em seu discurso no plenário, Lapid disse que chegou a hora de abandonar esse documento e negociar um novo acordo.

“A única maneira de impedir o Irã de obter uma arma nuclear é colocar uma ameaça militar credível na mesa. E então, e só então, negociar um acordo mais longo e mais forte com eles. É preciso deixar claro para o Irã que, se avançar em seu programa nuclear, o mundo não responderá com palavras, mas com força militar. Toda vez que uma ameaça como essa foi colocada na mesa no passado, o Irã parou e recuou”, disse o primeiro-ministro

Lapid jurou que Israel faria tudo o que pudesse para proteger seus cidadãos e impedir que o Irã destruísse seu estado.

“Faremos o que for preciso: o Irã não terá uma arma nuclear. Não vamos ficar parados enquanto houver quem tente nos matar. De novo não. Nunca mais”, disse.

Lapid acusou o Irã de alimentar o terrorismo global e regional, particularmente contra Israel, e que a ONU falhou diante dessa ameaça.

“O Irã declarou repetidas vezes que está interessado na ‘destruição total’ do Estado de Israel, e este edifício está em silêncio”, disse Lapid, evocando a acusação muitas vezes feita contra a comunidade global, que também permaneceu em silêncio durante o Holocausto.

Esta não é a única maneira pela qual as Nações Unidas falharam com Israel, disse Lapid. Permitiu que sua instituição fosse usada como plataforma para espalhar falsidades contra o Estado judeu.

Israel não é um “convidado neste prédio”, disse Lapid, explicando que “Israel é uma nação soberana orgulhosa” e “um membro igual das Nações Unidas”.

Ele terminou com uma nota de esperança ao fazer referência aos Acordos de Abraham, sob cuja rubrica Israel normalizou os laços com quatro países árabes – Emirados Árabes Unidos, Marrocos, Bahrein e Sudão – em 2020.

Ele pediu a outros países muçulmanos e árabes que também normalizem os laços com Israel .

“Israel busca a paz com nossos vizinhos. Apelamos a todos os países muçulmanos, da Arábia Saudita à Indonésia, que reconheçam isso e venham conversar conosco. Nossa mão está estendida para a paz”.

Fonte: The Jerusalem Post
Foto: Avi Ohayon (GPO)

2 thoughts on ““Israel é uma nação soberana orgulhosa”, diz Lapid na ONU

  • 23 de setembro de 2022 em 15:36
    Permalink

    Este discurso é a própria realidade que o vivemos, o Estado de Israel é uma grande nação como as demais e com a ajuda de Deus e as orações daqueles que temem o Deus todo poderoso, Israel não será engolido pelos seus inimigos, ainda que estiver lutando sozinho contra seus opressores, tenho certeza que como sempre foi o socorro virá dos Céus dos Céus, porque esta é a terra prometida por Deus, terra que mana leite e mel!
    convém sim que o povo de Israel vivam em paz com os árabes, os persas e todos que vivem em Israel e convivem com os Israelenses no mundo!
    Os árabes já tiveram a oportunidade de terem 80% de terras para formarem o seu Estado, mas recusaram, Israel sobreviveu 20% no deserto e hoje é uma grande nação porque as bênçãos de Deus estão sobre o seu povo e ninguém pode se opor, porque quem rege todas nações do mundo é o Deus todo poderoso e ninguém pode determinar o que Ele deve fazer, Ele faz o que lhe apraz!
    oremos pelo Estado de Israel , por Jerusalém, que Deus abençoe os seus muros!

    Resposta
  • 27 de setembro de 2022 em 16:06
    Permalink

    Por este discurso podemos ver o desastre que sera se este individuo se elege Primeiro Ministro!!
    O destino do Pais esta agora nas maos dos eleitores que deveriam votar pensando no futuro de Israel como UNICO PAIS JUDEU e ver o que aconteceria com os judeus de todo o Mundo, inclusive em israel, se Israel nao existisse!!!! Chega de lorotas de dividir o Pais e dar aos nossos inimigos!! Ai vao cair foguetes e bombas em Tel Aviv, Kfar Saba, Ramat HaSharon etc!!

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

%d blogueiros gostam disto: