Israel pode reabrir os céus em breve

À medida que a nova variante do Omicron se espalha dentro do país, Israel pode em breve suspender pelo menos algumas das restrições de viagens estabelecidas para desacelerá-la, disse o primeiro-ministro Naftali Bennett neste domingo.

Bennett abordou o assunto durante a reunião de gabinete a pedido do Ministro do Turismo, Yoel Rezbozov.

“É hora de acabar com o isolamento de israelenses vacinados que voltam do exterior”, disse o ministro do Turismo, Yoel Rezbozov. “Não tem mais valor médico”.

“Acho que deve acontecer esta semana”, continuou. “Ao mesmo tempo, devemos permitir o retorno de estrangeiros vacinados a Israel, porque, apesar do pacote de ajuda, o setor do turismo e a economia não serão capazes de continuar a arcar com esse fardo”.

“Provavelmente acontecerá esta semana, quando atingirmos os números de infecções que, na época, dissemos que trariam essa mudança”, respondeu Bennett, acrescentando que os ministérios do Turismo, do Interior e da Saúde se reunirão para formular a nova política.

Quando cientistas sul-africanos anunciaram ao mundo que uma nova variante estava causando um aumento nos casos em seu país, no final de novembro, Israel imediatamente fechou suas fronteiras para todos os estrangeiros e exigiu que todos que voltassem do exterior ficassem em quarentena por um período mínimo de três dias, mesmo aqueles totalmente vacinados.

LEIA TAMBÉM

Logo depois, também limitou as viagens de seus próprios cidadãos, rotulando um número crescente de países como vermelhos, para onde os israelenses não podem viajar sem permissão governamental.

O governo disse que as medidas seriam apenas temporárias, pois visavam impedir a variante de penetrar em Israel ou, pelo menos, retardá-la.

Nos últimos dias, no entanto, os casos dispararam, um sinal claro de que a Omicron está desenfreada em Israel.

Dos 4.200 casos identificados no sábado, apenas 6% foram registrados entre pessoas que voltaram do exterior, enquanto os demais 94% das infecções aconteceram na comunidade. Na semana passada, as taxas eram de 12 e 88%, respectivamente.

A questão também foi discutida durante a reunião do comitê de Legislação e Assuntos Constitucionais da Knesset.

“Não fechamos o céu, estamos identificando países nos quais a porcentagem de pessoas verificadas retornando deles é 10 vezes maior do que o que existe no Estado de Israel e apenas esses países permanecem vermelhos”, disse a Dra. Sharon Elroy Preis, Chefe dos Serviços de Saúde Pública do Ministério da Saúde. “Quando chegarmos a uma situação em que a doença importada é marginal e representa 5% ou menos da morbidade no Estado de Israel, tudo isso vai parar”.

Durante a reunião, o chefe do Comitê, deputado Gilad Kariv, advertiu que cancelaria todas as designações de países vermelhos na terça-feira se a Autoridade de População e Imigração continuasse a negar pedidos de entrada de cidadãos estrangeiros sem o devido processo.

No momento, a lista de países vermelhos inclui os EUA, Reino Unido, Canadá, França, Emirados Árabes Unidos, Etiópia, África do Sul, Hungria, Tanzânia, Nigéria, Espanha, Portugal, Suíça e Turquia.

Fonte: The Jerusalem Post
Foto: hpgruesen (Pixnio)

2 thoughts on “Israel pode reabrir os céus em breve

Fechado para comentários.