Israel reconhece ucranianos como refugiados de guerra

O Ministério da Integração e Aliá de Israel, que vai lidar com um grande fluxo de imigrantes na próxima semana, tomou a importante decisão de reconhecer os imigrantes vindos da Ucrânia como refugiados que fogem de área de combate e emergência.

A decisão significa que estes imigrantes receberão uma significativa ajuda, em dinheiro, do governo israelense, destinada a aqueles que vêm de zonas de batalha.

O ministério decidiu, de acordo com a ministra da Aliá e Integração, Pnina Tamano-Shata, conceder aos novos cidadãos israelenses refugiados ucranianos uma bolsa única, além da cesta de absorção de financeira e moradia temporária em hotel.

De acordo com a decisão do ministério, cada imigrante que vem da Ucrânia receberá um subsídio único de cerca de NIS 6.000, um casal receberá NIS 11.000 e uma família receberá NIS 15.000.

O ministério explica que “a decisão de oferecer uma bolsa aos refugiados se deve ao fato de que os imigrantes vindos da Ucrânia não estão preparados para sua aliá, por tudo o que ela implica e foram obrigados a deixar sua casa às pressas e sem pertences”.

“O Ministério da Aliá e Integração vem se preparando nas últimas semanas para a absorção de milhares de imigrantes da Ucrânia”.

LEIA TAMBÉM

Pela avaliação feita pelo ministério, fica claro que os imigrantes que chegarão, a partir do início da próxima semana, chegarão com pouquíssimos equipamentos e roupas devido às circunstâncias.

O ministério também continua a publicar uma “chamada de propostas” para encontrar mais hotéis e albergues que acomodem os imigrantes pelo menos nos primeiros dias.

na semana passada, o ministério publicou um edital de propostas de quartos para absorção de imigrantes e, até o momento, várias empresas apresentaram propostas para o edital.

O ministério alocou cerca de 12.000 quartos em hotéis em cooperação com a Israel Hotels Association, pousadas e conjuntos habitacionais em todo o país, dos quais entre 2.000 e 3.000 no norte do país, cerca de 6.000 no centro, 200 quartos em albergues e 90 apartamentos em conjuntos habitacionais.

Todos os dias, são realizadas avaliações situacionais sob a liderança de Tamano-Shata e com a participação de ministérios governamentais e organizações de imigração.

Na semana passada, o Ministério da Aliá e Integração convocou uma audiência de emergência durante a qual Tamano-Shata instruiu a equipe do ministério a remover as barreiras burocráticas à emissão digital de vistos de imigração.

“Este é um momento muito difícil para os cidadãos da Ucrânia, mas também é o momento da ‘Garantia Israelense’ (o nome da operação de absorção de Israel)”, disse Shata sobre a decisão.

“Tenho o privilégio de receber nossos irmãos e irmãs da Ucrânia que fugiram das batalhas. Declarei uma situação de emergência no Ministério e nossa equipe trabalha dia e noite para fornecer uma ampla gama de serviços aos imigrantes desde o momento em que desembarcam em Israel. Os hotéis que alugamos têm quartos como pré-avaliação, e vemos isso como o equivalente a um abraço caloroso da equipe do nosso Ministério”.

Fonte: The Jerusalem Post
Foto (ilustrativa): President.gov.uaCC BY 4.0 (Wikimedia Commons)

2 thoughts on “Israel reconhece ucranianos como refugiados de guerra

Fechado para comentários.

%d blogueiros gostam disto: