“Fui ajudar no diálogo, devemos fazer um esforço”

Na reunião de gabinete na manhã deste domingo, o primeiro-ministro falou sobre a visita secreta que fez no fim de semana à Rússia e à Alemanha e disse que Israel continuará a ajudar conforme solicitado e que sua viagem foi recebida “com uma bênção e encorajamento por ambas as partes”.

Mesmo antes da abertura da reunião, o Gabinete do Primeiro-Ministro relatou que Bennett havia falado com o presidente da Ucrânia Vladimir Zlansky, pela terceira vez no último dia.

Bennett partiu secretamente para a Rússia e se encontrou, ontem, por cerca de três horas com o presidente Vladimir Putin no Kremlin. A viagem foi acompanhada pelo ministro Zeev Elkin, que atuou como tradutor, pelo chefe do Conselho de Segurança Nacional, Eyal Hulta, e pela conselheira política, Shimrit Meir.

“Fui lá para ajudar no diálogo entre todas as partes”, disse Bennett. “Como todos sabemos, a situação não é boa, o sofrimento humano é grande e pode ser muito maior, se as coisas continuarem no caminho atual. Também há israelenses que precisam voltar para casa e comunidades judaicas angustiadas que precisam de ajuda”.

O primeiro-ministro acrescentou que “naturalmente, não posso expandir mais. Continuaremos a ajudar tanto quanto pudermos. Mesmo que a chance não seja grande, uma vez que há uma pequena abertura e temos a capacidade e o acesso a todas as partes, vejo como nosso dever moral fazer todo esforço. Enquanto a vela estiver acesa, deve-se fazer um esforço, e talvez ainda seja possível agir”.

LEIA TAMBÉM

Bennett também abordou a questão do acordo nuclear com o Irã, dizendo: “No fim de semana, uma coisa significativa e positiva aconteceu: o chefe da AIEA, Rafael Grossi, visitou Teerã e decidiu não atender à demanda iraniana de encerrar os casos abertos sob pressão política. É uma decisão profissional importante. Da agência e de Grossi, que não respondeu à pressão iraniana. Nossa posição sobre o acordo é conhecida: as desvantagens do acordo superam suas vantagens. De qualquer forma, o acordo não vincula o Estado de Israel em qualquer sentido”.

Sobre a absorção da imigração, Bennett disse: “Estamos nos preparando para uma onda significativa de imigração devido à situação. Agora o sistema está preparando cenários para a absorção de diferentes números de imigrantes, e apresentará isso ao gabinete esta semana. Um desafio para o Estado de Israel. Quando o mundo está enfrentando convulsões e os judeus não têm mais certeza de onde estão, eles nos lembram como é importante ter um lar para os judeus onde quer que estejam, como é importante que tenhamos o Estado de Israel”.

Fonte: Canal 13
Foto (ilustrativa): Kremlin.ruCC BY 4.0 (Wikimedia Commons)

One thought on ““Fui ajudar no diálogo, devemos fazer um esforço”

Fechado para comentários.