Israel testa droga que apressa a recuperação de infectados

Israel é uma das primeiras nações a começar a testar o favipiravir, substância que pode reduzir o tempo de recuperação de pacientes com casos leves de coronavírus.

O favipiravir, desenvolvido pela Toyama Chemical, do grupo japonês Fujifilm, é conhecido no Japão sob o nome comercial Avigan e obteve, em 2014, a aprovação do governo para produção e venda como medicamento contra a gripe, mas nunca foi comercializado.

O Japão disponibilizou o medicamento gratuitamente para os países que desejem testar.

Segundo o Ministério da Saúde, o medicamento experimental, já utilizado na China e no Japão, reduz o tempo de recuperação em casos leves para apenas quatro dias, diminuindo drasticamente o tempo necessário para eliminar o vírus em cerca de uma semana.

Embora o medicamento tenha sido usado anteriormente na China e no Japão, onde autoridades dizem que impediu a piora dos pacientes, nenhum teste clínico foi realizado.

Israel recebeu o medicamento graças aos esforços do especialista em doenças infecciosas Prof. Ran Nir-Paz, do Centro Médico da Universidade Hadassah, em Jerusalém, Dr. Esti Sayag, do Hospital Ichilov em Tel Aviv, e da embaixadora de Israel no Japão Yaffa Ben-Ari. Segundo Sayag, o Avigan representa a maior esperança entre os poucos medicamentos que estão sendo considerados para tratar o coronavírus.

Oitenta pacientes em hospitais em Jerusalém, Haifa, Tiberíades e Beer Sheva receberão Avigan para testar sua eficácia no tratamento de coronavírus.

Tanto no Japão como em outros países, o Avigan não pode ser encontrado em farmácias ou hospitais. Ele é fabricado exclusivamente para uso experimental.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *