Lapid e Netanyahu discutem após encontro

O primeiro-ministro, Yair Lapid, e o líder da oposição, Benjamin Netanyahu, discutiram, na segunda-feira, depois que Lapid fez uma relato ao seu antecessor sobre o emergente acordo nuclear entre o Irã e as potências mundiais.

De acordo com o Gabinete do Primeiro-Ministro, a reunião concentrou-se no acordo com o Irã e “as atividades diplomáticas e de defesa que Israel está conduzindo para influenciar a questão”, juntamente com outras questões de segurança nacional não especificadas.

“Em questões de segurança nacional, não há oposição ou coalizão em Israel. Israel é forte e agirá em unidade para proteger seus interesses de segurança contra aqueles que tentam nos prejudicar”, disse Lapid em comentários divulgados por seu gabinete.

O secretário militar de Lapid, Avi Gil, também participou da reunião.

Netanyahu falou à imprensa após o briefing, dizendo que estava “mais preocupado após a reunião do que antes”.

Ele acusou Lapid e o ministro da Defesa, Benny Gantz, de “adormecer no trabalho” no ano passado e disse que deveriam fazer lobby no Congresso dos EUA e falar na mídia americana.

“Tenho uma mensagem clara para os aiatolás em Teerã: em 1º de novembro, traremos uma liderança forte e decisiva para Israel que garantirá que, com ou sem acordo, eles nunca terão armas nucleares”, disse Netanyahu, referindo-se ao próximas eleições da Knesset.

LEIA TAMBÉM

Ainda assim, ele prometeu apoio a qualquer movimento “resoluto” contra o Irã feito pelo atual governo interino.

Reagindo, o partido Yesh Atid de Lapid acusou Netanyahu de causar “enorme dano” como primeiro-ministro.

“Juntamente com o tremendo dano que causou durante seu mandato, o líder da oposição continua sabotando e colocando em risco a segurança dos cidadãos israelenses. Enquanto Netanyahu continua a produzir e dirigir vídeos surdos, o governo israelense liderado por Lapid fará tudo para proteger os interesses de segurança nacional”, disse o partido no Twitter.

Em um comunicado posterior, Lapid disse que não queria brigar com Netanyahu sobre a posição de Israel em um novo acordo nuclear com o Irã, alertando que tal disputa prejudica a segurança de Israel.

“Há uma grande importância em uma posição israelense unida contra o esforço iraniano para obter uma arma nuclear. Peço ao líder da oposição e a todos que não deixem que considerações políticas prejudiquem nossa segurança nacional”, disse Lapid.

No domingo, em entrevista a repórteres, Lapid havia dito: “Não devemos chegar à situação em que estávamos em 2015. Até hoje, estamos pagando pelos danos causados ​​pelo discurso de Netanyahu no Congresso, após o qual o governo dos EUA encerrou seu diálogo conosco e não permitiu que Israel fizesse emendas ao acordo”.

Gantz também entrou na conversa com um post no Twitter, dizendo que a segurança nacional de Israel “precisa ser mantida acima do debate político de um período eleitoral”.

“A tentativa do Irã de explodir uma bomba nuclear não faz distinção entre um governo ou outro. Diante da ameaça iraniana, devemos permanecer unidos e focados no objetivo”, afirmou.

Os gabinetes de Lapid e Netanyahu também estiveram em desacordo sobre a divulgação de uma fotografia da reunião.

De acordo com relatos da mídia em língua hebraica, Lapid queria divulgar uma foto dos dois, argumentando que isso projetaria a unidade israelense para o mundo, enquanto Netanyahu alegava que o primeiro-ministro estava tentando usar a imagem por razões políticas.

Por fim, o gabinete de Lapid divulgou uma foto da reunião, mas o de Netanyahu não divulgou imediatamente.

Lapid e Netanyahu divulgaram fotos concorrentes de outra recente reunião de segurança, a primeira reunião desse tipo a que o chefe da oposição participou desde que perdeu o cargo de primeiro-ministro há mais de um ano.

O escritório de Netanyahu divulgou uma foto mostrando-os sorrindo, enquanto o de Lapid publicou uma mostrando-os mais sérios.

Enquanto a lei determina que o líder da oposição deve receber atualizações de segurança do primeiro-ministro – um procedimento que vem sendo seguido há anos – Netanyahu se recusou a cumprir o protocolo no ano passado, pois ele regularmente criticava a legitimidade da coalizão de governo liderado por Naftali Bennett e depois Lapid.

Fonte: The Times of Israel
Foto: Amos Ben Gershom (GPO) – 29/08/2022 e Haim Zach (GPO) – 07/08/2022

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.