Ministro da Agricultura quer mais matadouros de porcos

O ministro da Agricultura, Oded Forer, do Israel Beitenu, de Avigdor Liberman, quer remover as restrições ao abate de suínos em Israel, para permitir o estabelecimento de matadouros em todo o país, informou a rádio Reshet Bet na manhã desta terça-feira.

Hoje, existem 120.000 porcos em Israel, criados em 24 currais em três locais: I’billin no norte, Mi’ilya no oeste da Galileia e o instituto de pesquisa próximo ao Kibutz Lahav, ao norte de Beer Sheva.

No projeto de alteração da regulamentação atual, Forer quer eliminar a limitação geográfica à criação de suínos, tornando legal a criação em qualquer lugar, condicionado ao cumprimento dos requisitos veterinários.

“Não há razões profissionais hoje em dia para restringir os matadouros apenas a essas três localidades”, diz o projeto, observando que a emenda aumentaria a concorrência no setor.

Isso faz parte de um movimento geral para permitir o estabelecimento de matadouros de bovinos e ovinos em todo o país.

De acordo com o Ministério da Agricultura, 183.981 porcos foram abatidos em Israel em 2020. A carne suína é consumida regularmente em Israel por 500.000 a 700.000 residentes do país, incluindo cristãos e trabalhadores estrangeiros do Extremo Oriente.

O Tiv Ta’am, uma rede de supermercados israelense que atende a consumidores da antiga União Soviética (o maior eleitorado do Israel Beiteinu), se destaca por ser o fornecedor mais proeminente de carne suína e outros produtos do país que não cumprem as leis de cashrut. Tiv Ta’am também é a única grande rede de supermercados que permanece aberta no Shabat e feriados judaicos.

LEIA TAMBÉM

A carne de porco também pode ser comprada em Israel em barracas abertas ao lado das principais rodovias, especialmente no Shabat.

O Ministério da Agricultura argumentou que o objetivo da emenda proposta é combater o alto custo de vida, acrescentando que para os aspectos religiosos da emenda deve ser consultado o Ministério dos Serviços Religiosos.

O deputado Moshe Arbel, do Shas,  disse à rádio Reshet Bet que as necessidades dos cristãos israelenses estão sendo atendidas sob a lei existente e que a emenda proposta nada mais é do que uma manobra eleitoral. Arbel também se perguntou por que não há protestos das sociedades de defesa dos animais do país.

O jornalisata David Israel, do Jewish Press comentou. “Normalmente, não concordo totalmente com os deputados do Shas, mas, neste caso, acredito que Arbel está absolutamente certo em temer essa expansão da produção e consumo de suínos no Estado judeu. Não se trata de aliviar o sofrimento dos porcos – eles parecem receber um tratamento decente pelas fazendas bem supervisionadas; trata-se de remover mais um aspecto da lei judaica da sociedade israelense, além de permitir chametz em hospitais, alimentos não-casher nas IFDI e o que nos vendem como a reforma na indústria de supervisão de cashrut. Tomados separadamente, cada um deles pode ser justificado, mas visto como parte de uma tendência crescente, temos motivos para temê-lo”.

Fonte: Jewish Press
Foto: Canva

One thought on “Ministro da Agricultura quer mais matadouros de porcos

  • 30 de agosto de 2022 em 20:00
    Permalink

    Absolutamente inaceitável. Não sou religiosidade, mas fiz, aliá para um país Judaico. Para mim, ser Israelense é ocomplemento ideal de ser Judeu. Mas vm em conjunto com meu Judaísmo e não em seu lugar!
    Projeto vergonhoso.

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

%d blogueiros gostam disto: