Morre estudante baleado no ataque terrorista

Yehuda Guetta, o estudante de 19 anos que foi baleado na cabeça em um ataque terrorista no cruzamento Tapuach na região da Samaria e Judeia, morreu na quarta-feira à noite, informou o Hospital Beilinson, de Petach Tikva.

Guetta estava com outros dois estudantes – Benaya Peretz, de 19 anos, que levou um tiro nas costas e continua em estado muito grave, e Amichai Hala, também de 19 anos, que recebeu alta do hospital para se recuperar de suas feridas em casa.

Várias pessoas estavam no ponto de carona do cruzamento, quando terroristas que estavam dentro de um veículo, diminuíram a velocidade, pararam e dispararam contra os civis que estavam no ponto.

Além dos três feridos, havia seis outras pessoas no cruzamento, no momento do tiroteio, e milagrosamente não foram atingidos. Imediatamente as FDI iniciaram uma busca pelos terroristas.

Na segunda-feira, soldados apreenderam o veículo que se acreditava ter sido usado no ataque, mas manifestantes palestinos entraram em confronto com as tropas no local e o incendiaram.

LEIA TAMBÉM

O ataque ocorreu em meio ao aumento das tensões na Cisjordânia depois que a Autoridade Palestina anunciou que estava atrasando indefinidamente as eleições planejadas para o final deste mês, atribuindo a decisão à recusa ostensiva de Israel em permitir o voto da AP em Jerusalém Oriental.

O tiroteio foi seguido por vários ataques de retaliação por colonos israelenses, incluindo o ataque a uma vila palestina na madrugada de segunda-feira, onde atiraram pedras e granadas de choque e iniciaram incêndios.

O Shin Bet prendeu o suspeito do ataque e o identificou como Muntasir Shalabi, de 44 anos, da cidade de Turmus Aya. Acredita-se  que ele não tenha ligações com nenhum grupo terrorista.

O suspeito do ataque é um morador que voltou à Autoridade Palestina no ano passado após uma longa estada nos Estados Unidos. Também foi relatado que o suspeito havia estado em uma prisão israelense, mas não por crimes de terrorismo, mas devido à caça ilegal.

Paralelamente, fontes palestinas relataram esta noite que um menino palestino de 16 anos foi morto por um incêndio das FDI no vilarejo de Odela, ao sul de Nablus.

Fonte: The Times of Israel
Foto: IDF e cortesia da família