Operação prejudicou significativamente a Jihad

Em um briefing encerrando a Operação Alvorecer, as Forças de Defesa de Israel disseram que atingiram significativamente a Jihad Islâmica Palestina (PIJ) e sua liderança, destruindo a infraestrutura, incluindo um túnel para Israel descrito como um projeto “carro-chefe” e eliminando seu alto escalão.

Israel e a Jihad Islâmica interromperam, no domingo, três dias de intensos combates em que centenas de foguetes foram lançados contra cidades israelenses e intensos ataques aéreos foram feitos em toda a Faixa de Gaza.

Dezenas de palestinos morreram na operação, de acordo com as autoridades do Hamas em Gaza. Israel afirma que falhas nos foguetes dos combatentes palestinos causaram muitas dessas mortes.

O exército lançou os primeiros ataques aéreos após indicações de um iminente ataque de mísseis guiados antitanque da PIJ contra civis ou soldados israelenses na fronteira. Esses ataques mataram o comandante da PIJ no norte de Gaza, Tayseer Jabari.

De acordo com novos detalhes revelados hoje, as FDI usaram pequenas bombas planadoras para atingir o apartamento do sexto andar de Jabari em uma torre de 14 andares na Cidade de Gaza.

As munições entraram em ângulo na parede do sétimo andar, penetraram no teto do sexto e só então explodiram, a fim de minimizar os danos colaterais, disseram oficiais israelenses.

Em outro grande ataque aéreo na segunda noite da operação, o comandante da PIJ no sul de Gaza, Khaled Mansour, também foi morto.

Antes do ataque que matou Mansour, as FDI abortaram várias vezes a operação, pois seu apartamento estava perto de um playground. Os militares publicaram um vídeo desistindo do ataque, em uma tentativa de mostrar seus esforços para evitar ferir civis, mesmo quando confrontados com a oportunidade de atingir um alvo de primeira linha.

LEIA TAMBÉM

As FDI atingiram 170 alvos, usando caças, drones armados, helicópteros de combate e artilharia, de acordo com o briefing apresentado.

Os alvos incluíam 17 postos de observação (seis deles ocupados por agentes da PIJ), 45 locais de lançamento de foguetes e morteiros, oito acampamentos militares, oito esconderijos de armas, seis instalações de produção de armas, três alvos relacionados à força naval da PIJ e um ataque ao túnel.

No total, 1.175 foguetes e morteiros foram lançados da Faixa de Gaza contra Israel. O sistema antifoguete Iron Dome interceptou mais de 380 projéteis disparados em direção a áreas povoadas, com uma taxa de sucesso sem precedentes de 97%.

Vários foguetes conseguiram escapar do sistema e atingir áreas povoadas, causando alguns danos a residências e infraestrutura civil, além de ferir levemente pelo menos quatro pessoas, incluindo dois soldados. Dezenas de pessoas foram tratadas por ferimentos sofridos durante a corrida para abrigos e por ansiedade.

Os militares disseram que concentraram grande parte de seus esforços de ataque aéreo em locais de armazenamento e produção de foguetes, a fim de diminuir as capacidades da PIJ no caso de um potencial próximo conflito. As FDI acreditavam que esses ataques tornariam “significativamente mais difícil” para o PIJ se rearmar, mas alguns oficiais dizem que já tem milhares de foguetes prontos.

De acordo com os dados das FDI, cerca de 200 foguetes lançados contra Israel ficaram aquém da Faixa de Gaza. Em vários casos, lançamentos de foguetes fracassados ​​mataram civis palestinos. De acordo com estimativas militares, pelo menos 16 civis palestinos foram mortos em tais incidentes, alguns deles crianças.

As FDI disseram que o alvo mais significativo da operação foi um túnel de ataque que foi atingido domingo. O túnel, construído a vários metros de profundidade da cidade de Rafah, no sul de Gaza, seria usado para “entrar e atacar Israel de surpresa”.

O túnel era o projeto “carro-chefe” de Mansour, de acordo com um oficial das FDI.

Fonte: The Times of Israel
Foto: FDI

One thought on “Operação prejudicou significativamente a Jihad

Fechado para comentários.