Preços dos alimentos voltam a subir

Um dos maiores produtores de alimentos de Israel anunciou, nesta segunda-feira, aumentos de preços para uma ampla gama de seus produtos, à medida que a inflação continua elevando o custo de vida a taxas nunca vistas em mais de uma década.

A Tnuva, maior produtora de laticínios de Israel, disse que aumentará os preços no atacado de seus produtos em uma média de 4,7%.

O aumento de preço deve entrar em vigor na próxima terça-feira, disse a empresa, citando o aumento das despesas gerais para explicar os aumentos de preço.

Os preços da energia e da água aumentaram significativamente, observou a empresa, assim como os preços da soja e da aveia, usados ​​tanto para alimentar o gado para produção de leite, quanto para a produção de alternativas de leite não lácteos.

A Tnuva disse que os aumentos de preços estavam atrasados, enfatizando que, embora o preço do leite cru tenha subido 24% desde 2019, ou quase meio shekel desde 2019, a empresa não aumentou os preços dos produtos fora da cesta de preços controlados fixados pelo governo.

Embora a Tnuva tenha isentado alguns produtos dos aumentos de preços – incluindo alguns produtos de iogurte, algumas de suas bebidas de soja, queijo cottage, leite com baixo teor de lactose e sem lactose – os preços da maioria dos produtos da empresa serão aumentados em 22 de novembro.

LEIA TAMBÉM

Após dois anos de restrições da COVID impostas pelo governo e aumentos na concessão de recursos para estimulo dos gastos, a taxa de inflação aumentou significativamente no ano passado, passando de uma média de 1,0 a 1,5% antes da pandemia e 2,0% no final de 2021 para 4,6% em setembro deste ano.

De acordo com dados divulgados no início deste mês pelo Bureau Central de Estatísticas, o rendimento médio real caiu 0,4% de agosto de 2021 a agosto de 2022, apesar de um aumento de 4% em termos nominais, devido à taxa de inflação acima da média.

Apesar da pressão inflacionária, produtores e varejistas de alimentos têm relutado em impor aumentos de preços,  que já provocaram uma reação dos consumidores.

Em outubro, a rede de supermercados Shufersal disse que se recusava a cooperar com os planos dos produtores de aumentar os preços, anunciando que não ofereceria mais produtos da produtora de lácteos Tara, concorrente da Tnuva.

Em julho, o primeiro-ministro Yair Lapid conversou com autoridades do governo, pedindo medidas para conter os aumentos planejados dos preços do pão, depois que os preços do trigo dispararam devido à escassez causada, em parte, pela guerra na Ucrânia.

Fonte: Israel National News
Foto: Canva

2 thoughts on “Preços dos alimentos voltam a subir

Fechado para comentários.